Celebridades

Monica Iozzi afirma que discurso de Bolsonaro incita a violência e revela que amigo foi espancado

'Voto em Haddad e Manuela porque eles são melhores que PT', diz atriz

Atriz usou as redes sociais para desabafar sobre agressão do amigo por apoiador de Bolsonaro
Atriz usou as redes sociais para desabafar sobre agressão do amigo por apoiador de Bolsonaro - Reprodução/Facebook/monicaiozzi
São Paulo

A atriz Monica Iozzi, 36, fez um desabafo ao contar que um amigo seu foi fortemente agredido por homofobia. Ela conta que ele está internado com fraturas e machucados graves e ainda deve passar por uma cirurgia. 

"Um amigo foi violentamente espancado por um homem que se intitulava apoiador do [candidato à Presidência pelo PSL] Jair Bolsonaro", afirmou ela, em seu perfil no Facebook. 

Iozzi diz que o próprio candidato já lavou as mãos quando disse que os ataques que vêm ocorrendo não são culpa dele. "Um líder não precisa mandar que alguém maltrate mulheres ou espanque homossexuais, mas o discurso dele dá permissão para que as pessoas façam isso."

 

A atriz, que votou em Ciro Gomes (PDT) no primeiro turno das eleições, disse que votará no petista Fernando Haddad, porque Bolsonaro é um risco. "Voto em Haddad e Manuela porque eles são melhores que o PT, não porque eu estou sendo paga para isso. Aliás, quem se coloca politicamente perde muito dinheiro. Se eu quisesse mesmo ganhar dinheiro, eu não falaria nada sobre política", defendeu. 

Emocionada, Iozzi diz que não queria gravar mais um vídeo, mas viu o assunto como urgente. "A gente tem visto que essa onda de violência está realmente assustadora, mas quando chega tão perto de você, que a coisa se torna pessoal, mesmo, é um baque", completa Iozzi, lembrando que o país é o que mais mata LGBTs no mundo. "Isso não é 'fake news'. Muita coisa não é 'fake news'. Basta pesquisar", afirmou.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias