Celebridades

Taís Araújo diz que voltar para o teatro salvou sua carreira

'Como artista, tenho prazer em entreter, mas também em provocar reflexão'

Taís Araújo é a personalidade da capa da revista Claudia
Taís Araújo é a personalidade da capa da revista Claudia - Luiz Crispino/Divulgação

São Paulo

Taís Araújo, 39, se orgulha de ser socialmente engajada. "Como artista, tenho prazer em entreter, mas também em provocar reflexão”, disse ela em entrevista à revista Claudia.

Capa da edição de abril da publicação, a atriz comenta que pensou em desistir de sua carreira devido às críticas que recebeu em "Viver a Vida" (Globo), trama em que interpretava Helena. 

"Quase larguei tudo. Mas voltar para o teatro salvou minha carreira. Só por isso estou aqui hoje”, acrescenta. Araújo esteve no ar em 2017 como a personagem Michelle, na terceira temporada de "Mister Brau", série na qual atua com seu marido, o ator Lázaro Ramos.

A quarta temporada, que deve ir ao ar em 2018, trará uma reviravolta para sua personagem. "Vamos colocar em cena uma questão contemporânea, a de o cara não lidar bem com a mulher ganhando mais que ele", comentou. 

Engajada nas questões de racismo e gênero, Taís conta como se sentiu com a notícia do assassinato da vereadora Marielle Franco. "Acompanhava seu trabalho pelas redes sociais, falava com sua equipe. Foi um golpe duro, despudorado. Espero que a comoção seja apenas a semente para um país melhor no futuro", disse. 

DISCURSO

Em 2017, em um evento realizado em São Paulo, Araújo foi convidada a falar sobre "como criar crianças doces num país ácido". Ela e Lázaro Ramos, são pais de duas crianças, João Vicente e Maria Antônia.

"Quando eu engravidei do meu filho, eu fiquei muito aliviada de saber que no meu ventre tinha um homem. Porque eu tinha a certeza de que ele estaria livre de viver situações vivenciadas por nós mulheres. Certo? Errado. Porque meu filho é um menino negro. Liberdade é um direito do qual ele não vai poder usufruir. No Brasil, a cor do meu filho é o que faz que as pessoas mudem de calçada, segurem suas bolsas, blindem os seus carros."

Durante o discurso, Araújo, que é Defensora dos Direitos das Mulheres Negras da ONU Mulheres, ainda citou alguns dados do Mapa da Violência 2015: o homicídio contra negras aumentou 54% nos últimos dez anos; enquanto a incidência do mesmo crime contra mulheres brancas diminuiu 9%.

O discurso da atriz viralizou. As reações, no entanto, não foram somente positivas. Araújo também foi criticada por "haters" nos comentários de parte do vídeo que publicou na sua conta no Instagram. 

"Essa mulher é a maior racista do Brasil", disse um internauta. "A maior racista do Brasil, já chega dessa idiotice de preconceito, ninguém anda atravessando a rua quando ver uma criança negra, menos colega", disse outro usuário da rede social. 

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem