Bichos

Baleia perdida no Mediterrâneo está morrendo em ilha na Espanha

Especialistas acreditam que sacrificar o animal é uma opção

A baleia cinzenta perdida no Mediterrâneo está morrendo em Maiorca - Reprodução/El Pais
São Paulo

A jovem baleia cinzenta, batizada de Wally, está em uma situação grave na praia de Santa Ponsa, uma cidade turística de Maiorca, ilha espanhola. Nesta quinta-feira (20), o mamífero de oito metros de comprimento apareceu na costa da praia. Anteriormente havia sido avistada em Ibiza.

Wally está perdida há mais de dois meses no Mediterrâneo, que acabou se tornando um local difícil para achar alimento. "A respiração está cada vez mais lenta", afirma a veterinária Deora Morrinson, que está cuidando do animal, ao El País. “Ela é extremamente magra, é uma pena!”, completa.

Para que a baleia não sofra, os especialistas recomendam sacrificar o animal. "Uma baleia desta espécie não é detectada no Mediterrâneo há 10 anos. E não é uma boa notícia, porque significa que algum fator a fez fugir do Pacífico", diz Juan Antonio Raga, professor de zoologia da Universidade de Valência.

O professor afirma que é a favor da "natureza seguir seu curso" ao invés do sacrifício da baleia. Especialistas acreditam que ela já está perto de morrer. "Ele está sofrendo. Nunca vi uma baleia cinzenta em Maiorca. E menos um bebê. Temos que esperar", disse Morrinson.

Estima-se que Wally tenha cerca de dois anos. A saga do animal vem sendo acompanhada há semanas, e ele já foi avistado em Marrocos, França e Itália. O habitat natural desta espécie é no Oceano Pacífico, porém os especialistas acreditam que ela possa ter se perdido devido ao aquecimento global.

Essa espécie normalmente migra ao longo da costa da Califórnia, entre o Alasca e a Baja Califórnia, no México. Atualmente, Wally está nadando muito devagar e perto do fundo do mar. A baleia não se assusta com os dois barcos (um do Save the Med e outro do Salvamento) que a vigiam a poucos metros de distância.

A baleia cinzenta perdida no Mediterrâneo está morrendo em Maiorca
O cetáceo, que vagueia desorientado desde o início de março a milhares de quilômetros de seu habitat natural, apareceu em uma praia da ilha. Especialistas propõem seu sacrifício para que parem de sofrer

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem