Bichos

Elefanta indiana viaja mais de mil quilômetros até Santuário de Elefantes do Brasil

Bambi foi transferida do Zoológico Municipal de Ribeirão Preto nesta sexta (25)

Imagem da Elefanta Bambi publicada nas redes sociais do Santuário de Elefantes Brasil
Imagem da Elefanta Bambi publicada nas redes sociais do Santuário de Elefantes Brasil - Instagram/@elefantesbrasil
São Paulo

Bambi, uma elefanta indiana, está a caminho do Santuário dos Elefantes Brasil, localizado na Chapada dos Guimarães (MT), nesta sexta-feira (25). Ela percorre cerca de 1.270 quilômetros, já que foi transferida do Zoológico Municipal de Ribeirão Preto.

Autorizada pela Justiça no início da semana, a transferência da elefanta levou quatro dias para acontecer. Segundo informações fornecidas pelas redes sociais do Santuário, Bambi precisou passar por um processo de ambientação de Bambi com a caixa de transporte.

"Quando pensamos na logística de transporte de um elefante, temos que ter em mente as diversas fases e detalhes desse processo, que incluem desde a parte burocrática de documentação, equipamentos, produtos para cuidados com o elefante, além de tudo o que envolve as pessoas da equipe. Tudo isso é planejado sempre com o objetivo principal de oferecer o maior bem-estar."

Ainda segundo o Santuário, a viagem conta com paradas de duas a três horas para verificar se Bambi está bem. Ela também é monitorada através de um sistema de câmeras. O percurso está sendo feito com um caminhão, dois carros com a equipe do Santuário e escolta da Polícia Rodoviária Federal.

O elefante estava desde 2014 no Bosque Zoológico de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. Antes disso, o animal morava no Zoológico de Leme. Com aproximadamente 58 anos de vida, Bambi possuí deficiência visual no olho esquerdo e má oclusão dentária, tendo traumas de maus tratos.

"Depois de uma vida de sofrimento e solidão, Bambi terá a chance de ser um elefante novamente!", escreveu o Santuário em um comunicado publicado no Instagram.

Confira:

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem