Bichos

Orlando Bloom compara sumiço de cachorro com pessoas que perderam parentes pela Covid

'Sinto-me impotente... talvez como tantas outras pessoas', diz ator

Orlando Bloom com seu cachorro de estimação desaparecido
Orlando Bloom com seu cachorro de estimação desaparecido - Instagram/@orlandobloom
São Paulo

O ator Orlando Bloom, 43, voltou a falar sobre o desaparecimento do seu bicho de estimação, um cachorro da raça poodle chamado Mighty, nas redes sociais neste domingo (19).

Longe de casa desde quarta-feira passada, o animal ainda está perdido. Com isso, Bloom fez um desabafo sobre os seus últimos dias longe do companheiro de quatro patas.

"Não me lembro de um momento na minha vida em que estive tão quebrado. A crueldade que senti nesses últimos dias e noites sem dormir com a ideia de meu 'homenzinho' estar perdido e assustado, e eu incapaz de fazer qualquer coisa para protegê-lo, é um pesadelo", escreveu.

Bloom contou que o animal sumiu na região de Montecito, na Califórnia. "Sinto-me impotente... Talvez como tantas outras pessoas que estão perdendo entes queridos ou são incapazes de vê-los por causa desses tempos", refletiu o ator, que também sugeriu que as pessoas apreciassem mais momentos com quem amam. ⁣"Confie nisso e não tenha medo do amor ou medo de perder o amor. Amor é eterno."

​"O vínculo entre Mighty e eu mostra devoção de maneiras que eu realmente não entendi até agora. Sou pai e parceiro dedicado, ainda assim, há uma razão pela qual eles os chamam de 'melhores amigos do homem'. Sinto falta dele", completou Bloom em sua postagem.

O ator ainda pediu para que as orações continuassem "para que ele possa encontrar o caminho de volta para sua família", finalizou.

Orlando Bloom disse que o animalzinho de estimação possuí um "chip" e uma coleira com o número para contato. "Se você o levar para um veterinário, abrigo ou delegacia, eles podem me localizar para uma recompensa. Por favor mandem apenas informações reais", pediu assim que anunciou o desaparecimento.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem