Bichos

Imagens de dois pinguins viúvos que se consolam com carícias emociona o mundo

Fotógrafo não pode comprovar história, mas diz que fotos valem pela mensagem

Pinguins abraçados no alto de uma colina
Pinguins abraçados no alto de uma colina - Instagram/tobiasvisuals
São Paulo

Dois pinguins emocionaram o mundo, após dar uma demonstração de afeto. Uma foto registrada por Tobias Baumgaertner mostra momentos em que uma fêmea e um macho consolam um ao outro com carinhos, após os dois ficarem viúvos.

O fotógrafo especializado em natureza fez as imagens em uma colônia de pinguins na costa de Melbourne, na Austrália. Baumgaertner ficou três noites acampando para poder capturar imagens que mostram a relação entre os animais.

"Uma mulher se aproximou de mim e disse que o pinguim branco era uma mulher idosa que havia perdido seu parceiro e, aparentemente, o espécime mais jovem também. Desde então, eles se reúnem regularmentee para se consolar e ficar juntos por horas olhando as luzes dançantes da cidade vizinha", narrou Baumgaertner em seu Instagram.

As imagens divulgadas em três posts diferentes receberam mais de 100 mil curtidas nas redes sociais. O fotógrafo pediu, no entanto, que sua história não fosse considerada como cientificamente correta e apurada. A sua intenção é apenas tocar os seres humanos com "este momento verdadeiramente belo e mágico que espalhou muito amor por todo o mundo".

"A comunidade científica me informou que os animais antropomorfizados [humanizados] podem influenciar comportamentos inadequados dos humanos em relação a eles" e que, de fato, esses pinguins já vivem muito próximos da cidade e já "devem estar lidando com vários desafios".

Cientistas disseram ao fotógrafo que seria difícil comprovar a relação dos dois pinguins, mas "que se eles não forem amigos, podem ser, pelo menos, familiares".

No entanto, o artista expressou que ele é "um sonhador" e que escreveu suas palavras "do fundo do seu coração".​ "Acredito que as imagens servem como exemplo para que os humanos também protejam as coisas com as quais podem se conectar. É como um lembrete de que compartilhamos esse mundo maravilhoso com muitos outros seres que o habitam e que vêm em várias formas e tamanhos", concluiu.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem