Você viu?

Carta de Gregorio Duvivier para Clarice Falcão rende paródias na internet com Temer e Neymar

Marketing para novo filme ou carta de amor? A coluna do humorista Gregorio Duviver publicada nesta segunda (12) na Folha viralizou e rendeu diversos debates na internet.

No texto, o colunista fala sobre seu relacionamento com a atriz e cantora Clarice Falcão. Os dois terminaram em 2014, depois de sete anos juntos. No Twitter, o nome de Gregorio foi parar nos tópicos mais comentados e, claro, rendeu muitas paródias.

O "Piauí Herald", site de noticiário satírico, por exemplo, criou uma versão da carta de Duvivier, mas dessa vez "escrita" pelo presidente Michel Temer a Eduardo Cunha, que teve seu mandato cassado pela Câmara dos Deputados nesta segunda-feira (12).

Chamada de "Desculpe o transtorno, preciso falar do Cunha, escreve Michel Temer", ela começa com uma frase em latim. Dessa vez, nada de "verba volant scripta manent". O texto se inicia com "affinitas affinitatem non generat".

Depois, com várias referências à coluna de Duvivier, simula como teriam sido os anos de relacionamento entre os dois peemedebistas.

"Conheci-o no culto. Essa frase pode soar eloquente demais se você imaginar alguém pregando a palavra de Deus num templo milenar de Israel. Mas o culto em questão era apenas um dos muitos que os pastores vêm comandando desde os anos 90 em decadentes cinemas das capitais", diz.

O texto também menciona passagens da vida política de Cunha, como ter assumido a presidência da Telerj, na década de 1990, a aproximação ao ex-governador do Rio Anthony Garotinho e ter sido eleito deputado.

"Passamos algumas madrugadas conversando na Telerj ao som de "Sonda-me", "Usa-me" e "Rendido Estou". De lá, migramos pro governo Garotinho. Do governo Garotinho pro PMDB, do PMDB pro Congresso", diz.

As investigações na qual Cunha está envolvido também foram lembradas pelo "Piauí Herald". "Aprendi com ele o significado de usufrutuário, truste, Panama Papers e outras palavras que o Word tá sublinhando de vermelho e enviando pra NSA", disse.

"Ontem, terminamos. E não foi fácil. Choramos mais do que quando líamos o Regimento Interno da Câmara dos Deputados", completa.

NEYMAR

Quem também ganhou uma versão da carta de Duvivier foi o jogador Neymar. Em uma paródia publicada por um usuário do Facebook chamado Levy Teles, Neymar diz que sente falta do tempo em que namorava Bruna Marquezine.

Aliás, desde a conquista da medalha de ouro, os dois não se desgrudaram, e o jogador até chegou a curtir uma foto da atriz mesmo sem segui-la no Instagram.

"Conheci ela no pagode. Essa frase pode parecer romântica se você imaginar alguém tocando Péricles num subsolo esfumaçado de Rio de Janeiro", fala o texto. "Ela fazia pagode. Minha irmã fazia pagode. Eu não fazia pagode mas ia buscar minha irmã no pagode. Ela estava lá. Dançando. Nunca vou me esquecer: a música era 'Ousadia e Alegria', do Thiaguinho."

As frases e expressões características de Neymar, claro, foram adaptadas para a declaração de amor.

"Gruvamos juntos altos passinhos e dibres [sic]. Fizemos uma dúzia de parças novos e junto com eles o Barcelona. Fizemos mais de 50 gols só nós dois, acabei de contar. Sofremos com os haters, rimos com os 'shippers'. Viajamos o mundo dividindo o fone de ouvido", diz a paródia.

"Aprendi o que era #partiu e também o que era #sextou, Deus eh TOP, o ousado chegou kkkk e outras palavras que o Word tá sublinhando de vermelho porque o Word não teve a sorte de ser casado com ela", continua.

"Um dia, terminamos. E não foi fácil. Choramos mais que no Brasil x Alemanha. Mais que na separação de Thiaguinho e Péricles", completou, lembrando o 7 a 1 da Copa do Mundo e da saída dos cantores do Exaltasamba.



Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem