Estilo

Chegada dos filhos pode fazer com que casal diminua contato íntimo e até sexual

Há casais que se afastam após o nascimento dos filhos. Com a rotina modificada, perdem a intimidade e até acabam deixando a vida sexual de lado. "Após o nascimento dos filhos, é muito comum que casais percam a intimidade, deixem de conversar e até de curtir momentos juntos", define o psicólogo Yuri Busin, do Centro de Atenção à Saúde Mental Equilíbrio.

"No início, o casal passa por muitas novas experiências, e o sexo acaba ficando em segundo plano, mas é preciso ter algum tipo de prioridade. Casais que deixam sempre as crianças dormirem no quarto e nunca têm um momento de privacidade acabam prejudicados."

Para quem acha impossível manter a vida a dois aquecida após a chegada recente de um bebê, algumas mães provam o contrário. A secretária executiva Vanessa Ramalho, 33, casada há dez anos com o gerente técnico em telecomunicações Cleber Ramalho, 36, conta sua experiência. Ela teve o primeiro filho há cinco anos.

"Eu não sou de deixar o meu filho com alguém para poder sair, sempre fazemos tudo juntos. Mesmo assim, eu e meu marido vivemos muito bem nossa intimidade", descreve a secretária. "Saímos muito de casa e ele vai junto, não atrapalha. Namoramos, nos curtimos, jantamos em família, viajamos. Queremos mostrar o mundo para ele junto de nós, porque sabemos que um dia ele vai voar e seremos novamente só os dois", diz ela.


Cleber Ramalho e Vanessa mantiveram a intimidade na relação após o nascimento do filho, benício
Cleber Ramalho e Vanessa mantiveram a intimidade na relação após o nascimento do filho, benício - Reprodução/Facebook

A psicóloga Claudia Melo faz uma reflexão sobre a afirmação de que os filhos atrapalham o casamento. "Alguns casais rompem não pela chegada do bebê, mas porque já havia um desgaste antes mesmo da gravidez." Se o casamento, no entanto, era saudável, manter o diálogo e os hábitos antigos, como a prática de algum esporte ou encontros com amigos, é importante.

Claro que tudo depende de como é o novo integrante da família. Se a criança for mais chorona, por exemplo, demanda mais atenção dos pais. "Quando a criança vem com algumas questões, os pais precisam se adaptar. Será preciso se dedicar um pouco mais a esse bebê."

É necessário contar com o apoio de familiares também. "O bebê pode ser independente dos pais, especialmente quando eles conseguem delegar cuidados a outras pessoas, sejam elas parentes ou babás, amigos ou mesmo professores de escolinhas. Às vezes nos esquecemos de que outras pessoas podem ajudar", diz Priscila Junqueira, psicóloga e sexóloga.


A decoradora Raquel Drehmer, 40, tem uma filha de dois anos. "Há uma fase em que é preciso ter paciência. Os primeiros meses são difíceis mesmo. Mas acho que é tudo uma questão de vontade e planejamento. A gente se dedica a tantas coisas na vida, por que não a um relacionamento?"

Raquel não concorda com ter dia certo para sair ou uma noite dedicada ao sexo, no entanto. "Um bebê não fica acordado 24 horas por dia. Dá para assistir a um filme, conversar como adulto sobre outras coisas. Claro que há imprevistos e é preciso contar com eles, mas é só lembrar que o filho chega para acrescentar algo à família --não será o ponto central nem poderá ser deixado de lado."


COMO MANTER A INTIMIDADE

- Os dois precisam entender que, nos primeiros meses, a criança demandará mais tempo e atenção, principalmente da mãe, que amamenta. O corpo da mulher também precisa se recuperar do parto. Nessa fase, é preciso paciência e compreensão

- Preste atenção ao outro no dia a dia. Conversar sobre a vida, sempre que possível, ajuda a manter a intimidade e a relação do casal, que vai se sentir mais animado para momentos quentes ou um jantar romântico

- Alguns casais ficam totalmente dedicados aos filhos e se esquecem da vida pessoal, do trabalho e dos sonhos. É preciso conversar sobre outros assuntos

- Cada casal pode encontrar o seu caminho para não perder o contato íntimo, mas a melhor dica não é definir horários ou dias para fazer sexo ou sair para um jantar a sós. O ideal é que isso aconteça naturalmente

- Há crianças que exigem mais dos pais. Conte com a ajuda de familiares

- Crianças precisam se adaptar a regras, até como preparação para a vida adulta. Estabelecer hora para dormir e acostumá-las no próprio quarto ajuda muito na relação do casal

Fontes: Yuri Busin, psicólogo, diretor do Centro de Atenção à Saúde Mental - Equilíbrio; Priscila Junqueira, psicóloga especializada em sexualidade; Sirlene Ferreira, psicóloga


A reportagem foi publicada na "Revista da Hora", do jornal "Agora".
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem