Celebridades

'Não temo a solidão, sou amigo dela', diz Selton Mello 

Selton Mello, 44, não liga de morar sozinho. E também não se importa de estar solteiro. "Não temo a solidão, sou amigo dela, me alimento de suas possibilidades. É uma escolha, e não tá ruim, não."

É isso o que o ator diz à amiga Carolina Dieckmann, 39, que o entrevistou para a capa da próxima revista "TOP Magazine" —a publicação chega às bancas a partir desta segunda (25). 

A Dieckmann, o artista também fala sobre sua fama de "reservado". "Ser low profile é moleza para mim. Mineiro, né? Não me interesso pela exposição gratuita e nem acho que devo ter opinião sobre tudo."

Para Mello, cujo mais recente trabalho é o longa "O Filme da Minha Vida", em que atua e dirige, o "recolhimento é saudável". "Entendo um pouco do que faço, não sou especialista nem em mim mesmo. Deixo que meu trabalho, na maior parte das vezes, fale por mim", diz ele. 

VONTADE DE MUDAR 

Durante a entrevista, que ocupa 14 páginas da revista, Mello foi perguntado sobre uma possível "vontade de jogar tudo para o alto". Ao que respondeu: "Penso nisso toda hora".  

"Chega uma hora na vida de quem trabalha com arte que a obra ganha do criador. Tem gente que é tocada pelo que faço, e essas pessoas merecem que eu continue. Ok, é pouca gente, mas estou de olho nelas, faço por elas. Muito do fato de continuar vem disso, é como se fosse uma missão que não tenho o direito de interromper", diz.  

"E pelos meus pais, maiores incentivadores e primeiros espectadores de tudo que faço, é por eles que também sigo em frente. Mas vontade de mudar o rumo da prosa tenho toda hora, dúvidas sobre tudo isso tenho o tempo todo. Só que tento usar isso para me impulsionar, não para permanecer estagnado. Cuido a cada momento para não ficar estéril artisticamente, procuro sempre viver grávido de ideias", completa. 



Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem