Celebridades

Preta Gil critica banimento de marchinhas consideradas preconceituosas: 'Tenho dúvidas se algum gay já se sentiu ofendido'

Durante o "Domingão do Faustão" deste domingo (26), Preta Gil saiu em defesa de marchinhas como "Cabeleira do Zezé" e "Maria Sapatão", banidas de alguns blocos de Carnaval por conterem trechos considerados preconceituosos e homofóbicos. 

"Tenho dúvidas se algum algum gay já se sentiu ofendido com essas músicas", disse a cantora. "Essas marchinhas surgiram em uma época onde era tabu falar sobre isso e a serviam para introduzir de maneira natural esses assuntos". 

Ela também brincou: "Está tudo tão politicamente correto que vão ter que me chamar de 'Afrodescendente Gil', não de Preta."

Preta Gil no baile do Bloco da Preta 2017 em São Paulo
A cantora Preta Gil - Marcus Leoni; Folhapress



Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem