Celebridades

Atriz Yanna Lavigne diz que trabalhou na adolescência em fábrica de eletrônicos no Japão

A atriz Yanna Lavigne, 27, que interpretou a prostituta Mimi em "Liberdade, Liberdade", revelou ter precisado trabalhar em uma fábrica de eletrônicos no Japão para conseguir pagar o curso de teatro quando ainda estava na adolescência.

A declaração aconteceu no "Encontro" (Globo), programa de Fátima Bernardes, desta quarta-feira (7), logo após uma reportagem sobre um homem que trocou emprego dele no RH para se tornar faxineiro.

Grávida do também ator Bruno Gissoni, Lavigne explicou que em um momento de crise econômica, foi com a família para o país asiático, onde terminou o ensino médio e trabalhou.

"Minha família se viu em uma situação muito difícil no Brasil, e a gente foi para o Japão", lembrou a atriz, filha de um japonês com uma brasileira.

"Fui trabalhar em uma fábrica de montagem de eletrônicos", disse. "Era uma carga pesada, eu estudava de manhã e trabalhava das 13h às 20h. Foi meu dinheiro que pagou meu dinheiro no teatro", acrescentou.

A atriz disse que foi uma boa experiência e que aprendeu muito para o resto da vida. "Aprendi muito e agregou muito para a minha carreira, sou muito grata ao meu trabalho", completou.





Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem