Bichos

Trump é o primeiro presidente dos EUA sem animal de estimação em quase 150 anos

Bush pai tinha dois cachorros. Clinton tinha um cachorro e um gato. Bush filho possuía três cachorros, um gato e uma vaca –a Ofelia. Obama, por sua vez, dividiu a Casa Branca com Sunny e Boo, dois cães d'água portugueses. Já Trump, o 45º mandatário dos EUA, pelo menos até agora, não adotou nenhum animal de estimação. 

O levantamento, feito pela revista "The Economist" com base em dados disponíveis no site "Presidential Pet Museum", mostra que o republicano é o primeiro presidente sem pets em quase 150 anos. 

De acordo com a publicação, antes de Trump, o último mandatário dos EUA que não teve a companhia de nenhum animal de estimação foi Andrew Johnson, que sofreu um processo de impeachment em 1869. 

Em toda a sua história, a Casa Branca, além de abrigar presidentes em exercício, foi o lar de mais de 300 animais. Por lá, viveram, desde centenas de cachorros, cavalos e pássaros, até urso, tigre e jacaré em passagens ocasionais.

Franklin Roosevelt, o 32º presidente dos EUA (de 1933 a 1945) foi, de longe, o que mais abrigou animais na Casa Branca: 50, incluindo uma coruja e um galo de uma perna só. 

Segundo a revista, os presidentes democratas têm uma média de seis animais cada, contra nove dos republicanos.

'PRIMEIROS PETS'

Jaime Spitzcovsky, colunista da Folha, em texto publicado em 2002, disse que o historiador Douglas Brinkley afirmou ser "quase obrigatório" aos moradores da Casa Branca abrigar um animal de estimação. "Exigimos um 'primeiro-pet'", disse numa analogia com o termo "primeira-dama".

A importância de cães presidenciais é tamanha que virou até livro, como o "Pets na Casa Branca", da americana Jennifer Boswell Pickens, que possui mais de 200 fotos e histórias de animais. 

Gráfico da 'The Economist' mostra os animais de estimação que passaram pela Casa Branca
Gráfico da 'The Economist' mostra os animais de estimação que passaram pela Casa Branca *** **** - Reprodução/The Economist



Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem