Você viu?

Contra acidentes, cidade japonesa quer proibir uso de smartphone durante caminhadas

Estudo japonês apontou que campo de visão é reduzido em 95%

Pessoas caminham olhando para o celular no centro de São Paulo - Robson Ventura - 15.jun.16/Folhapress
Tóquio

A cena é comum em todo mundo: pedestres olhando para as telas de seus smartphones que acabam tropeçando ou, pior ainda, provocam acidentes. Uma cidade japonesa quer acabar com tudo isso e proibir o uso de telefones celulares durante as caminhadas.

Um projeto de lei foi apresentado à Câmara Municipal de Yamato, perto de Yokohama. A decisão será tomada no fim de junho. Caso a medida seja adotada, "será a primeira proibição do tipo no Japão", disse à AFP Masaaki Yasumi, funcionário do governo local.

"O número de pessoas que usam smartphones disparou e, com isso, o número acidentes", explicou Yasumi. "É o que queremos evitar", completou.

O projeto não prevê punições, porém, para os que não conseguem ficar sem usar o smartphone enquanto caminham, e sim uma campanha de conscientização para garantir o respeito da proibição. "Esperamos que a proibição leve cada um a tomar consciência dos perigos", afirma.

Em 2014, um estudo organizado pela operadora nipônica NTT DoComo calculou que o campo de visão de um pedestre absorto na tela de um celular é reduzido em 95% na comparação com uma visão normal.

O grupo fez uma simulação por computador para observar o que aconteceria se 1.500 pessoas atravessassem o cruzamento sempre lotado de Shibuya, no coração de Tóquio, enquanto olhavam para seus telefones.

Os resultados mostraram que dois terços dos pedestres teriam sofrido incidentes, com 446 colisões, 103 pessoas derrubadas e 21 smartphones quebrados.

AFP
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem