Você viu?

Uri Geller, o ilusionista das colheres, diz que impedirá brexit usando telepatia

Israelense diz estar fazendo o possível para um segundo referendo

Uri Geller, o ilusionista das colheres
Uri Geller, o ilusionista das colheres - REUTERS

São Paulo

O ilusionista israelense Uri Geller, 72, famoso principalmente por sua habilidade de entortar colheres, disse nesta sexta-feira (22) que irá impedir que o Reino Unido deixe a União Europeia usando a sua telepatia.

Geller escreveu uma carta aberta à primeira-ministra britânica Theresa May na qual diz que não irá permitir que o brexit seja concluído. Ele ainda afirma conhecer a primeira-ministra há 21 anos, e que previu que ela seria eleita anos antes de isso acontecer. 

“Senti psiquicamente e com muita força que a maioria dos britânicos não quer o brexit", escreveu Geller. "Por mais que eu admire você, eu vou impedi-la telepaticamente de fazer isso – e acredite em mim, eu sou capaz disso. Antes de tomar este drástico curso de ação, apelo para que você pare o processo imediatamente, enquanto ainda tem uma chance”.

Geller disse ainda que o líder do Partido Trabalhista, Jeremy Corbyn, jamais chegará ao posto de primeiro-ministro. Na carta, ele afirma que usa o poder de sua mente para garantir que Jeremy Corbyn não receba as chaves para o número 10 de Downing Street, o endereço da residência oficial dos primeiros-ministros britânicos.

Enquanto não há acordo, na manhã deste sábado (23), centenas de milhares de opositores à saída do Reino Unido da União Europeia marcharam pelo centro de Londres para exigir um novo referendo. 

Não há estimativa oficial de participantes, mas organizadores apontam que este deve ser, provavelmente, o maior protesto contra o brexit já realizado. Após três anos de um árduo debate, ainda é incerto como, quando e até mesmo se o brexit ocorrerá.

Na quinta-feira (21), a UE concordou em adiar ao menos até 12 de abril o Dia D do brexit, dando a May mais duas semanas para resolver o imbróglio da aprovação do “acordo de divórcio” pelos deputados.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem