Você viu?

Pernambucana viraliza entre famosos com narrações inusitadas de coreografias

Alcione Alves faz sucesso com termos como 'girada furacão'

A pernambucana Alcione Alves, conhecida como rainha das narrações
A pernambucana Alcione Alves, conhecida como rainha das narrações - Reprodução/Instagram

Márcia Soman
São Paulo

A pernambucana Alcione Alves, 29, começou a narrar vídeos de coreografias meio ao acaso, para se divertir. Dois meses depois, seu perfil no Instagram já trazia a alcunha de rainha das narrações e suas descrições inusitadas de passos de dança pipocavam nas redes sociais de famosos como Preta Gil, Gloria Maria, Sheron Menezzes e Gabriela Pugliesi.

Alves, que é estudante de engenharia elétrica da Universidade Federal Rural de Pernambuco, usa vídeos de coreografias de famosos, como Anitta e David Brazil, e conterrâneos anônimos do Recife, como o dançarino Yrlan Souza, e intitula os passos com termos como “cruzamento de perna violenta”, “quicada de aquecimento”, “modelo abusada”, “girada furacão”, “tremida lateral”, além de palavras que ela própria inventou como teile, laga e zaga.

Ela recebe os vídeos de amigos no celular, de seguidores no próprio Instagram ou navegando pela internet, caso das imagens que inspiraram a narração de Anitta. “A mensagem ‘faz narração do meu vídeo’ é o que mais eu recebo hoje. Se fosse fazer narração de todo mundo, não ia fazer mais nada”, afirma.

Já os termos que discorre velozmente a cada passo são criações próprias. “Vêm da minha cabeça, da minha criatividade. São coisas que não existem e surgem para mim dependendo do dia”, explica a pernambucana.

Os bordões são termos que usa com as amigas quando saem para dançar. “Teile, por exemplo, é tipo ‘tome, amiga’. Já zaga e laga são as reboladas, é como se eu estivesse incentivando a pessoa a dançar. Sempre gostei de fazer isso com as pessoas.”

Cada vídeo leva de duas a três horas para ser produzido. Ela usa dois celulares, seu próprio e o de sua mãe --em um deles vê a dança e no outro grava a narração. “Crio o nome de cada passo para que seja parecido com o movimento que a pessoa está fazendo. Assim não só eu como também qualquer um que veja a narração pode entender a referência. Além disso, preciso alinhar o movimento com a voz.”

DE BRIGA DE RATO A FAVOR PARA DANÇARINO

As narrações começaram com um vídeo de uma briga entre ratos. A pernambucana recebeu no WhatsApp as imagens de dois ratos brigando e achou que seria curioso se alguém desse voz aos animais. Fez a montagem, postou em seu Instagram em novembro do ano passado e conseguiu pouco menos de 4.000 visualizações. “Era uma brincadeira, sem pretensão”, conta Alves.

Meses depois, em junho deste ano, postou a primeira coreografia, do pernambucano Mateus, mais conhecido como Corpo, que passou de 160 mil visualizações até esta quarta (8). “Quando vi que fez sucesso e a galera pediu mais vídeos, fui fazendo”, diz.

Veio então o primeiro de dois vídeos com o dançarino e coreógrafo Yrlan, o que alçou a rainha das narrações às redes sociais dos famosos. Ela recebeu as imagens via mensagem de seus seguidores pelo Instagram, junto a muitos pedidos para narrar os passos.

“Eu disse para ele: ‘Tá preparado pra chuva de likes que vou lhe dar? Você vai virar famoso em todo o Brasil’. Ele ficou todo empolgado”, conta Alves. O vídeo, postado em 30 de julho, conseguiu quase 880 mil visualizações até esta quarta (8). 

Os dois passaram a conversar e se tornaram amigos. Alves então fez outra proposta, uma nova narração para ajudar Yrlan a alcançar a marca de 15 mil seguidores. Missão cumprida --o vídeo colocado no ar há quatro dias já teve pouco mais de 480 mil visualizações até quarta (8), e o dançarino chegou aos 18,3 mil seguidores.

A pernambucana Alcione Alves, 29, a rainha das narrações
A pernambucana Alcione Alves, 29, a rainha das narrações - Reprodução/Instagram

Alves diz não ficar surpresa ao ver suas interpretações nos perfis dos famosos (“a pessoa tem que ter muito pé no chão”), mas admite temer a pressão que vem com o sucesso nas redes sociais. “De certa forma, [o sucesso] me deu um medo. A pressão e a responsabilidade aumentam quando você tem milhares de pessoas te olhando”, diz Alves.

Para a pernambucana, o sucesso ainda é muito recente e tudo continua uma grande brincadeira para os amigos. “Tenho facilidade de fazer humor, já fiz texto para youtubers locais. Eu sempre ajudava a galera e nunca fazia nada para mim. Decidi agora fazer uma coisa para mim.”

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem