Você viu?

Homens mais altos do mundo se reúnem em Paris

Venezuelano com os maiores pés do mundo - ele calça 68 - participou do evento

Com 2,46 metros de altura, Brahim Takioullah faz selfie com turistas
Com 2,46 metros de altura, Brahim Takioullah faz selfie com turistas - Gerard Julien-01.jun.2018/AFP

Paris

Um mede 2,46 metros, outro calça tamanho 68: alguns dos homens mais altos do mundo se reuniram em Paris para um fim de semana de trocas pessoais e intercâmbio com as pessoas atraídas por sua altura.

O grupo não passou despercebido em seu passeio pelo Champs Elysees na tarde de sexta-feira (1), e foram muitos os pedidos de selfies com locais e turistas.

"Eu que tenho 1,58 m... nunca podia imaginar algo assim", brincou um francês do sudoeste do país.

Para o jogador de basquete Dalibor Micic, que, com seus 2,24 metros, é o homem mais alto da Sérvia, "é agradável estar com outros homens altos".

"Toda a vida você é o mais alto de sua cidade e, aqui, quando você encontra pessoas mais altas que você, é simplesmente incrível", explica, com um sorriso.

Encontro dos homens mais altos do mundo atrai olhares curiosos em Paris
Encontro dos homens mais altos do mundo atrai olhares curiosos em Paris - Gerard Julien-01.jun.2018/AFP

Usando sandálias imensas, o venezuelano Jeison Orlando Rodríguez (2,32 metros) ostenta o recorde de pés maiores.

"Atualmente ele calça 68. E continua aumentando! É incrível, é terrível", destaca Georg Wessels, um sapateiro alemão.

"Quando a pessoa se encontra assim com os mais altos do mundo é uma outra sensação. É um olhar horizontal porque, geralmente, temos um olhar vertical para os que são mais baixos que a gente. Mas quando estamos juntos, nos sentimos sempre como irmãos", destaca o francês Brahim Takioullah, 2,46 metros e o segundo homem mais alto do mundo.

Homens mais altos do mundo posam com a polícia francesa
Homens mais altos do mundo posam com a polícia francesa - Gerard Julien-01.jun.2018/AFP
AFP
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem