BBB21

BBB 21: Carla Diaz deve ir para Quarto Secreto, aponta enquete

João ficou em segundo lugar na preferência dos internautas

Carla Diaz - Instagram/carladiaz
São Paulo

Carla Diaz deve ser a mais votada, na noite desta terça-feira (9), no Paredão Falso do BBB 21. Às 22h30, a enquete do F5 apontava a atriz com 59% dos votos. Em segundo lugar aparecia João Luiz Pedrosa, com 24%, seguido por Caio Afiune (13%) e Arthur Picoli (3%) –com quem a atriz vive um romance no reality.

O participante que receber o maior número de votos não será eliminado, mas ganhará o benefício de ficar em um quarto (Quarto Secreto) com mordomias acompanhando o jogo por alguns dias antes de retornar para a competição, surpreendendo os colegas de confinamento.

​Carla e João foram indicados ao Paredão pelo líder Rodolffo. Arthur foi o mais votado pela casa, e Caio foi puxado para a berlinda por Carla no contragolpe. Pocah foi puxada por João, mas escapou na Prova Bate-e Volta.

QUARTO SECRETO

O participante mais votado no Paredão desta terça-feira (9) vai deixar o confinamento (como se tivesse sido eliminado) e vai para um cômodo onde vai permanecer durante alguns dias. O quarto contará com sinal de TV, mas a imagem não terá som.

Quem estiver no quarto poderá, se quiser, ouvir o diálogo ou a ação que estiver acontecendo na casa. Para isso, ele poderá usar uma ficha de duas horas de duração (card) para escutar determinada conversa –ao todo, o participante terá direito a seis cards durante sua estadia.

O mais votado, além de ir para o Quarto Secreto, poderá vetar o Anjo. Isso significa que ele poderá vetar a escolha do Castigo do Monstro ou o destino do Colar de Imunidade. Esse poder poderá ser usado em até duas semanas.

Os demais emparedados também serão beneficiados pelo Paredão falso. Quem ficar na segunda e terceira posição estão garantidos na Prova do Líder da próxima quinta (11). Já o quarto colocado, por sua vez, terá voto com peso dois, com prazo de duas semanas para poder utilizar.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem