A Fazenda 12

A Fazenda 12: Equipe de Raissa Barbosa quer reparação por danos sofridos no reality

Peões estariam tentando desestabilizar a modelo, que tem síndrome de borderline

Raissa Barbosa
Raissa Barbosa - Instagram/raissabarbosaoficial
São Paulo

A assessoria de imprensa de Raissa Barbosa, 29, divulgou um comunicado nesta sexta-feira (23) falando sobre os adversários da modelo em A Fazenda 12 (Record). "No momento oportuno serão adotadas as medidas cabíveis", ameaça o texto, sem citar nomes específicos.

O comunicado cita os artigos 186, 187 e 927 do Código Civil Brasileiro, que trata da violação de direitos por ação ou omissão voluntária, negligência ou imprudência. O texto jurídico diz que comete ato ilítico quem causar dano a alguém, mesmo que exclusivamente moral, e quem excede os limites impostos "pelo seu fim econômico ou social, pela boa-fé ou pelos bons costumes". Também fala que o condenado por esses delitos são obrigados a reparar o dano.

A equipe de Raissa afirma que alguns participantes "afrontam seu estado emocional, moral e sua saúde", tudo isso "de forma abusiva, desproporcional e ilegal". A modelo sofre com Síndrome de Borderline, que faz ela ter instabilidade de humor e hipersensibilidade nos relacionamentos interpessoais.

Esses participantes estariam tentanto irritar propositalmente a peoa para que ela explodisse e acabasse agredindo alguém fisicamente, o que faria ela ser eliminada do jogo. Ela tem sido protagonista de diversas brigas durante o confinamento e alguns participantes já comentaram ter percebido que um dos gatilhos para sua irritação é ser chamada de "louca".

"Em tempos em que tanto se fala sobre saúde mental, pouco se reflete sobre a psicofobia", diz a equipe de Raissa. "A psicofobia acontece quando pessoas com transtornos mentais são tratadas com negligência e tidas como 'loucas'."

"Sabemos que a Raissa está em um reality, sendo sujeita a julgamentos e a situações desgastantes como qualquer um, mas nada justifica comentários que desrespeitam não só a ela como pessoa, mas a todos aqueles que sofrem com condições psiquiátricas similares", prosseguem. "Foram ditas tantas palavras pesadas na noite de ontem que sequer gostaríamos de replicá-las aqui, mas tudo está sendo visto, ouvido e gravado."

"Não queremos que a Raissa receba 'tratamentos especiais', mas o respeito e a dignidade que ela merece", finaliza o texto. "Portanto, esse tipo de atitude não pode passar despercebida."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem