Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Televisão

Sensualizando com Pokémon? Cinco momentos de vergonha alheia em programas infantis

Do bambu de Silvio Santos às danças e figurinos sensuais e sem noção no meio da criançada

Eliana no Sabadão - Reprodução/Youtube
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

De minissaia curtinha e botas pretas, a apresentadora Eliana canta a música infantil "Pokémon" no programa Sabadão (SBT). A cena, que viralizou no último fim de semana, foi ao ar em data incerta, provavelmente no final dos anos 90 ou no início dos anos 2000. Até aí, nada de mais. Ela cantando, Ok. O que chamou atenção de internautas foi o contexto em que Eliana está inserida.

Espalhadas pelo palco, dançarinas seminuas sensualizam olhando lascivamente para a câmera, fazendo do mobiliário seus postes para uma pole dance muito da profissional. Uma delas está somente com a parte de baixo do biquíni e uma blusa branca de alcinhas. Molhada. Transparente. Outra preferiu optar por lingerie com estampa de oncinha.

Revistas agora, as imagens deram início a um acalorado debate nas redes nos últimos dias. Com o assunto em questão, o mundo da internet se dividiu entre os chocados ("Foi isso mesmo que eu vi?", perguntou-se um usuário do Twitter) e os saudosos. "Eu amava essa energia caótica, hoje não temos mais nada disso", comentou um integrante da turma dos nostálgicos.

Uma rápida pesquisa no YouTube mostra que, nas décadas de 1980 e 1990, e ainda no início dos anos 2000, cenas como essa não eram raras. Apresentadoras em roupas sensuais e artistas cantando músicas inapropriadas faziam parte da programação da TV brasileira. Havia também o fenômeno das crianças desbocadas, que falavam palavrões para apresentadores ao vivo.

Tanta "energia caótica", para usar a expressão cunhada pelo usuário do Twitter, causou uma reação: nos anos 2000, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados, em parceria com entidades da sociedade civil, criou a cartilha "Quem financia a baixaria é contra a cidadania" para promover o respeito aos direitos humanos e à dignidade do cidadão na TV.

Uma lista de programas considerados "de baixo nível" era divulgada anualmente para pressionar seus anunciantes a desistir do investimento. O foco, no entanto, eram atrações voltadas para os adultos, como o "Pânico na TV!" e o "Big Brother Brasil", com quadros considerados sensacionalistas ou ultrajantes.

Anos mais tarde, Xuxa Meneghel fez autocríticas sobre seu trabalho como apresentadora de programas infantis na Globo. Em entrevista a Pedro Bial, em 2020, ela falou que 80% das coisas que fazia no programa eram politicamente incorretas, da maneira que falava com as crianças, às roupas que usava.

Além das imagens de Eliana que viralizaram, o F5 selecionou mais quatro momentos que ajudam a entender todo o debate gerado. Veja:

TRADUÇÃO CONSTRANGEDORA

Em 1995, a cantora americana Sandra Gillette foi uma das atrações do programa dominical Xuxa Hits. Acompanhada pelo grupo 20 Fingers, ela apresentou às crianças ali presentes um dos hits do momento: a ultradançante "Short Dick Man" ("Homem de Pinto Pequeno"). A música fazia parte da trilha internacional da novela "Quatro por Quatro" -daí a inclusão do programa de Xuxa na agenda de Gillette- Sem tradução, crianças e adolescentes dançavam sem parecer entender o que era cantado no palco. Trechos como: "Não quero homem de pinto pequeno / Você usa uma pinça para tirar essa coisinha para fora? É o menor pinto que já vi em toda a minha vida", cantava (e gargalhava) Gillette.

"EU QUIS COMER VOCÊ"

O grupo de rock gaúcho Os Cascavelletes colocou a apresentadora Angélica, os ajudantes de palco e o público infantil do programa Clube da Criança (TV Manchete) para dançar cantando a música "Eu Quis Comer Você", em 1987. Após a apresentação da banda, Angélica entrevistou o vocalista da banda Flávio Basso perguntando sobre a nova música. "‘Eu Quis Comer Você’ é o nome da música", disse o cantor, sem constrangimento. Angélica arrematou. "Olha só, que barato."

SILVIO SANTOS E O BAMBU

Uma garotinha deixou Silvio Santos constrangido ao contar uma piada na década de 1980. Ela perguntou para o dono do baú: "Sabe qual a diferença entre o poste, a mulher e o bambu?". Silvio Santos respondeu que não. Não sabia. A menininha então disse, deixando um clima de suspense no ar: "O poste dá luz em cima e a mulher dá luz embaixo".

O apresentador perguntou para a garotinha sobre o bambu. Satisfeita por Silvio Santos ter caído na pegadinha, ela disse rindo: "Enfia no seu cu". Ele fica sério por alguns segundos e diz rindo, com aquele jeitão: "Boca suja, sem-vergonha".

NÃO ERA FÁCIL SER O BOZO

Nem mesmo o palhaço Bozo escapou de constrangimentos no seu programa ao vivo no SBT. Não é lenda: algumas crianças (pelo menos umas cinco, segundo relatos na internet) ligaram para o programa e xingaram o palhaço para ver sua reação.

"Ei, Bozo. Vai tomar no cu", ouviu o amiguinho da criançada em pelo menos duas situações. Neste dia, o palhaço não estava de bom humor e respondeu com deboche: "Prefiro tomar em um copo, que é mais limpinho." Na outra ocasião, teve presença de espirito e lançou um "O quê? Suco de caju??".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem