Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Televisão

'Quanto Mais Vida' é diferente de tudo que já fiz, diz Giovanna Antonelli

Atriz fala sobre troca de corpos dos protagonistas que acontece neste sábado

Paula (Giovanna Antonelli) vai trocar de corpo com Neném (Vladimir Brichta) Estevam Avellar/Globo

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Desde o início das gravações de "Quanto Mais Vida, Melhor!", Giovanna Antonelli (Paula), Vladimir Brichta (Neném), Valentina Herszage (Flávia) e Mateus Solano (Guilherme) já sabiam que na metade da trama uma grande virada marcaria o folhetim: a troca de corpos entre os protagonistas. A mudança acontece agora, no capítulo deste sábado (26), quando Paula assume o corpo de Neném, e ele o dela; e Flávia passa a agir como o médico, e ele passa a ser a dançarina.

"É diferente de tudo o que eu já fiz na TV", diz Antonelli, presença constante em novelas na Globo nas últimas duas décadas. A comparação com "Se eu Fosse Você" é "imediata", pontua Giovanna. Mas, ainda que o filme de 2006 seja uma referência para o quarteto, eles ressaltam que há uma grande diferença.

Na telona, Gloria Pires e Tony Ramos trocam de papéis por algumas horas. Já no folhetim de Mauro Wilson, a mudança entre os personagens vai durar mais de 40 capítulos. "A gente não troca de corpos, faz três piadas e volta", frisa Vladimir Brichta. De fato, os atores assumem outros personagens. E com um complicador: personagens que já existiam.

"Agora, estou com frio na barriga de novo porque é praticamente como se a gente fosse estrear uma novela nova, com novos personagens, um novo olhar", pontua Giovanna.

Brichta destaca outro desafio. Além de interpretar a Paula no corpo de Neném, ele precisa fazer a empresária fingindo para o restante do elenco que é o jogador de futebol. Confuso? Um tanto, mas que deve salientar o lado cômico do folhetim, aposta Brichta.

Há momentos divertidos programados como Mateus Solano na pele de Guilherme/Flávia dançando pole dance, e Neném jogando mal futebol já que é, na verdade, Paula. Brichta brinca, aliás, que foi mais fácil fazer a cena como "um perna de pau" do que sendo um craque de bola.

Mas o ator ressalva que nem tudo será só diversão. "A trama precisa andar. Se tem uma coisa que brasileiro entende é futebol e novela [...] Não dá para a gente tentar enrolar. Não adianta só ter cenas cômicas, precisa engajar o público na história", reforça.

Cientes do que ocorreria na metade do folhetim, os atores revelam que desde o início já construíram os personagens pensando em características marcantes para cada um, que poderiam ser facilmente reconhecidas pelo público e servissem como uma ajuda na hora da inversão dos papéis.

No caso de Neném e Paula, uma lista de trejeitos típicos de cada um foi trocada entre os artistas. Brichta cita que a personagem de Antonelli costuma estalar os dedos para chamar alguma pessoa, enquanto Neném tem uma piscadinha típica que dá um ar de "malandragem" ao jogador.

"É um trabalho que não é exatamente uma imitação, mas que também se vale um pouco da imitação", diz o ator. "Eu preciso fazer um personagem crível, mas eu não preciso fazer à perfeição a Paula, porque ela só é essa Paula no corpo da Giovanna. Quando eu faço, é a Paula no corpo do Vladimir", complementa ele.

A pandemia ainda atrapalhou o processo dos atores. Por causa dos protocolos de segurança adotados pela Globo para evitar a contaminação nos estúdios, as filmagens ficaram mais lentas e, como precaução, a novela estreou com todos os capítulos já gravados. Isso significa que o quarteto de protagonistas não conseguiu ver o trabalho do colega no ar.

"Eu tinha a expectativa que eu entenderia melhor a Paula a partir do momento que eu a visse no ar. Mas essa foi a surpresa", explica Brichta. Desta forma, pontuam eles, a parceria entre os atores e a direção teve de ser intensificada na hora da inversão dos papéis.

"Tinha dias, na gravação, que o Neném subia e não queria mais descer. O pessoal me ajudava contando como o Neném faria aquela cena. Um ajudou o outro. A gente virou uma família no set, uma família bem generosa", afirma Antonelli.

Assim como o público, os atores afirmam que também estão ansiosos para ver como será a nova fase da novela. Mesmo com uma dose de frustração, uma vez que não podem mais alterar nada na interpretação dos personagens porque tudo já está gravado, Brichta e a atriz destacam que deram o melhor de si diante das circunstâncias.

"A gente se empenhou na missão de levar uma história lúdica para o espectador. Minhas filhas, pela primeira vez na vida, estão vendo uma novela e não perdem um capítulo. Então, eu tento não me cobrar tanto, porque sei que fizemos o que era melhor naquele momento", conclui Antonelli.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem