Televisão

Di Ferrero diz que vai despertar mulher interior para próxima imitação no Show dos Famosos

Cantor diz que interpretação de Bocelli foi a mais difícil até agora

Di Ferrero na entrega do prêmio MTV Miaw 2018
Di Ferrero na entrega do prêmio MTV Miaw 2018 - Marcus Leoni / Folhapress
 
Anahi Martinho
São Paulo

Após arrancar elogios dos jurados na interpretação de Andrea Bocelli no Show dos Famosos, o músico Di Ferrero, 33, já se prepara para sua primeira personagem feminina no quadro do Domingão do Faustão.

“Vocês vão adorar. Queria muito falar quem é, mas não posso senão ‘os cara’ me mata. Eu vou despertar a mulher que já existe em mim”, afirmou Ferrero durante o evento Senna Day Festival, realizado nesta quarta-feira (1º) no Autódromo de Interlagos, zona sul de São Paulo, em memória aos 25 anos da morte de Ayrton Senna.

Ao lado de Sandra de Sá, Negra Li, Simoninha e Milton Guedes, o músico apresentou na celebração o show da turnê Baile do Bem. “Quem não lembra do Senna naqueles momentos de inspiração? Todo mundo via ele no domingo, eu parava pra assistir o cara. Lembro do dia que ele faleceu”, afirmou ele no evento. 

“Lembro do que aconteceu na escola no outro dia: todo mundo ficou de pé, todo mundo bateu palma. Eu era bem novo, mas lembro. Lembro dos professores falando muito sobre o exemplo de pessoa que ele foi. É muito marcante estar aqui hoje, está sendo uma festa incrível”, diz.

Atualmente no Show dos Famosos, Ferrero falou sobre os desafios de interpretar outros artistas, como Bocelli. “Foi uma experiência totalmente diferente, por ele ser deficiente visual. Foi a primeira vez que eu entrei num palco e não vi as pessoas. Na hora até me emocionei. Mas isso que é legal neste programa, dar oportunidade para a gente fazer outros tipos de coisa”, afirma. “O legal é você se jogar na parada. Não ter apego a nada, se entregar.”

Para o músico, que já fez parte da banda NX Zero, o Show dos Famosos está sendo como uma faculdade: “Me transforma muito como artista. É tipo uma facul. Você se supera, vê que consegue, que é capaz, e você fala ‘cara, preciso trazer isso pra mim’”. 

No caso de [Andrea] Bocelli, Ferrero conta que ficar sem enxergar por horas nos ensaios. “Tinha hora que eu queria abrir o olho, mas abria o olho e não enxergava. Mas não é uma coisa triste, é uma coisa legal, porque você mergulha nesse estado. O Bruno Mars era uma coisa mais de dança, tinha as marcações, eu sabia que eu ia conseguir dançar daquele jeito. Mas o Bocelli foi um grande desafio”, conta.

Ele anda revelou que está pensando até em adaptar o musical da Broadway “American Idiot”, inspirado nas músicas do Green Day. “Eu ficaria feliz de fazer um musical, já até falei com o [Miguel] Falabella sobre isso. Sinto falta de umas coisas de palco, uma coisa mais musical mesmo, mas estou dando um jeito. E agora essa parada de dança, de expressão corporal, quero colocar no show também de alguma forma”, conta. “Sempre quis fazer musical e agora isso está começando a ficar mais concreto”.


 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias