Publicidade

'Lili, a Ex' sai das tiras e atazana ex-marido na TV

19/08/2014 - 10h31

Publicidade

VITOR MORENO
DE SÃO PAULO

Há quem diga que ex bom é ex morto, mas o fato de ele estar vivo pode ao menos render boas piadas. É assim em "Lili, a Ex", série que estreia em setembro no canal GNT.

Na trama, Lili (Maria Casadevall) se muda para o apartamento vizinho ao de Reginaldo (Felipe Rocha), a quem abandonou para fugir com um domador de circo. Apesar de não querer mais nada com o antigo marido, ela não quer abandoná-lo por completo. O texto é baseado nas tiras do quadrinista Caco Galhardo publicadas na Folha.

"No momento, seria inviável os dois ficarem juntos", explica Casadevall. "A forma que ela descobriu de manter essa paixão e esse encantamento mútuo aceso foi por meio dessa obsessão louca."

Davi Ribeiro/Folhapress
A atriz Maria Casadevall, que dá vida a Lili na série do GNT
A atriz Maria Casadevall, que dá vida a Lili na série do GNT

"Para o Reginaldo, que é supercareta, ela abre um leque de loucuras. E ele traz um chão para a Lili não virar um balão de gás hélio solto no mundo", concorda Rocha. "Ao mesmo tempo, é insuportável. Um não aguenta mais o jeito de viver do outro."

A atriz diz que a inspiração na tira trouxe algumas especificidades à composição de sua Lili. "É uma expressão corporal muito mais presente, uma definição de gestos e movimentos que lembram a coisa do cartum, mas sem deixar de ser realista", conta.

Galhardo conta que viu a criação personificada em Casadevall já na primeira vez em que a atriz leu o texto. Para o quadrinista, ela pegou o jeito da personagem "de cara".

A atriz nega que isso se deva a alguma semelhança dela com a personagem. "Todos os namoros que tive foram cultivados na base da amizade. E sempre que terminaram, eu mantive relações muito saudáveis com todos os meus ex. E vice-versa".

Galhardo, que também é roteirista da série, diz que a produção partiu "quase do zero". "Tínhamos a premissa da ex-mulher atazanando o ex-marido, mas criamos vários personagens. São todos meio loucos", diz. "A Lili é uma espécie de buraco negro que vai levando todo mundo para dentro da loucura dela."

O autor diz que a ideia de levar a personagem para a TV surgiu há cerca de cinco anos, quando começou a pensar em expandir o universo da trama. "A tira é o ápice da síntese e o que a gente está fazendo é o contrário", diz ele. São 13 episódios de 26 minutos com direção de Luis Pinheiro e produção da O2.

Galhardo diz que ainda não pensou em fazer o mesmo com outras de suas criações, mas brinca que o personagem Chico Bacon pode surgir em uma nova temporada da série.

Perguntado sobre a origem da personagem, ele explica que o estalo ocorreu ao atentar para conversas da ex-mulher com amigas que haviam se separado. "Na minha vida não existiu Lili", garante.

NA TV
Lili, a Ex
Estreia da série
QUANDO 24/09, às 22h30, no GNT
CLASSIFICAÇÃO não informada

  • Últimas notícias 
  •  

Publicidade

Publicidade

gostou? leia também

  •  

Publicidade

Siga agora o F5 no Twitter

Livraria da Folha