Saiu no NP

Médium opera com sangue e tem morte prevista por Chico Xavier

As cirurgias milagrosas através de espíritos desencarnados ganharam destaques nas páginas do jornal "Notícias Populares".

Na década de 90, de acordo com centenas de testemunhas, o espírito de um médico alemão, Dr. Ricardo Dwannesstan, realizava cirurgias em Goiás por meio do médium chamado Antônio Pedreiro. Espíritas e pessoas que acompanham as operações chegaram a afirmar que o cantor Cazuza poderia ter sido curado da Aids na ocasião se tivesse procurado o médium.

Crédito: John Kurtis - 10.jul.1990/Folhapress
O médium Antônio Pedreiro, que recebia o espírito do médico alemão Ricardo Dwannesstan, realiza cirurgia em julho de 1990, na cidade de Palmelo, no Estado de Goiás

A grande diferença entre seus trabalhos e de outros médiuns, como Zé Arigó (dr. Fritz), é que em suas cirurgias o sangue jorra como nas operações comuns realizadas nos hospitais.

Diante do fato, a manchete do "NP" de 10 de julho de 1990 foi "Espírito alemão opera com sangue". O espírito do dr. Ricardo, que morreu há 50 anos, durante a 2ª Guerra Mundial, operava com bisturi e outros instrumentos cirúrgicos.

Através do médium Antônio Pedreiro, um homem muito simples de pouca instrução, o médico alemão operava 50 pacientes de cada vez, em macas colocadas num galpão do centro espírita na cidade de Palmelo, no Estado de Goiás. Ele cortava tumores cancerosos, retirava com bisturis, tesouras e pinças, pedras dos rins e da vesícula em 15 minutos.

Uma senhora de Ourinhos (SP) foi operada de câncer no útero, fez repouso durante três dias e andava pelas ruas normalmente no quarto dia. A maioria dos doentes sentia dor, mas dá para aguentar afirmavam os pacientes.

No dia 11 de julho, o "NP" publicou "Novo Arigó cura câncer em minutos", em que descreveu o momento em que doentes desenganados corriam atrás das curas do espírito alemão. Do bairro do Jabaquara, em São Paulo, partia caravanas de ônibus com doentes com destino a Palmelo todas as sextas-feiras. A cidade milagreira fica depois de Uberlândia, na rodovia para Brasília.

Doentes de todas as partes procuravam o centro espírita na esperança de um milagre na ponta da faca. Uma senhora nissei, de Sorocaba (SP), sofria havia 15 anos de glândula da hipófise e todas as tentativas de cura foram inúteis. O espírito do dr. Ricardo operou o cérebro da nissei através da nuca, e ela voltou boa para casa.


Foi o caso também de outra senhora que voltou curada para Campinas (SP) após a cirurgia de um câncer de útero em Palmelo, cidade fundada pelo médium Jerônimo Cândido Gomide.

Como a procura era grande e muitos doentes graves não conseguiam chegar a cidade goiana, Antônio de Oliveira Rios, conhecido como Antônio Pedreiro, organizou uma viagem para atender os pedidos de cura em São Paulo no final de julho.

"Novo Arigó em São Paulo" era a manchete de 12 de julho de 90, relatando um médium diferente, uma vez que seus pacientes, quando submetidos a operações, sentem dores e sangram como se não fossem cirurgias espíritas.

É bom lembrar que os espíritos alemães passaram a se manifestar nas regiões mais pobres do Brasil sete anos após o término da 2ª Guerra. Em 1952, o alemão Adolf Fritz surgiu em Congonhas do Campo, em Minas Gerais. Em 1960, o espírito dr. Frederick Kempler fazia cirurgias em Recife (PE) e, em 1966, o espírito do dr. Dutzold operava doentes de Pernambuco.

Mas a viagem de esperança para muitos doentes em São Paulo não aconteceu, pois o médium Antônio Pedreiro, de 38 anos, casado e pai de três filhos, teve um triste fim, noticiado no "NP" no dia 19 de julho com a manchete "Abelhas assassinas matam novo Arigó".

Em férias, Antônio Pedreiro saiu para pescaria no rio Corumbá na fazenda de João Rincon, em Goiás, quando sua barca se aproximou da cachoeira de Maracá, bateu numa árvore que abrigava uma colmeia de abelhas africanas.

Os dois companheiros do médium que estavam na barca se jogaram no rio e se salvaram, mas, Antônio Pedreiro, que não sabia nadar, foi atacado com milhares de ferroadas na cabeça e em todo o corpo.

Crédito: Folhapress Em 20 de julho de 1990, o "Notícias Populares" informou que Chico Xavier revelara que Antônio Pedreiro teria uma morte trágica naquele ano
Em 20 de julho, o "Notícias Populares" informou que Chico Xavier revelara que Antônio Pedreiro teria morte trágica em 1990

O "Notícias Populares tomou conhecimento da morte do médium através de uma senhora de Santo André (SP), que foi operada de tumor no seio em novembro de 89 e ficou curada.

Liana da Cruz, que estava hospedada na cidade de Palmelo, declarou que o espírito alemão incorporado por Antônio Pedreiro operava e curava mesmo. Os doentes chegavam em ônibus de excursão, peruas, kombis e ambulâncias. As operações em todos os finais de semana chegavam a atingir de 800 a 1.000 doentes de Rio de Janeiro, São Paulo e Paraná. As curas já eram notícias em todo o país.

Ao encerrar a série de reportagens sobre o dr. Ricardo, o "NP" destacou em 20 de julho, com o título "Chico previu morte de Arigó", reportagem em que o médium Chico Xavier avisava desde o mês de abril que Antônio Pedreiro morreria tragicamente em 1990.

Com a morte do médium, os doentes passaram a ser atendidos pelo médico dr. José Milton, que recebia o espírito alemão do dr. Frankbauer, no Núcleo Espírita da Paz, em Palmelo (GO).

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias