Música

MC Zaac aponta redes sociais como parte do sucesso alcançado pelo funk

Músico se prepara para lançar primeiro álbum em 2022

MC Zaac Isis Betelli/Divulgação

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Desde sua explosão em 2016 com o hit “Bumbum Granada”, Isaac Daniel Júnior, mais conhecido como MC Zaac, 28, vive uma crescente na carreira e no funk, ritmo que o trouxe para os holofotes. Agora, o cantor se prepara para o lançamento de seu primeiro álbum, que deve ocorrer no início de 2022.

Para ele, o funk já vinha conquistando mais espaço os últimos anos, mas foi com a explosão do TikTok e dos Reels no Instagram que ele ficou mais popular dentro e fora do Brasil, graças às coreografias criadas nas redes sociais. “É um ritmo muito alegre e dançante em todas as suas vertentes”, afirma

O artista relembra que no ano passado, já durante o isolamento social, lançou a música “Desce Pro Play” em parceria com a cantora Anitta, 28, e o rapper Tyga, 31, sucesso nas redes sociais. Ele comenta que seu estilo de funk sempre foi dançante e que começa a produção de suas músicas pela melodia.

“Começo pelo ‘beat’ e, quando vejo que está diferente e envolvente, vou colocando a letra em cima”, explica. Zaac conta, em entrevista ao F5, que costuma fazer batidas em um programa de produção musical e que a letra se encaixa na batida. Ele diz que “Desce Pro Play” foi feita desta forma.

A faixa lançada em 2020 é o terceiro single que ele e Anitta fazem juntos, somando a “Vai Malandra” (2017) e “Bola Rebola” (2019), que também contou com a participação de Tropkillaz e J Balvin. “Somos quase uma dupla já”, brinca o cantor.

Nesse período em que esteve longe dos palcos, focar na batida e melodia foi ainda mais importante para o MC. Ele considerava os shows uma espécie de termômetro para o seu trabalho, e agora o balanço fica nas redes sociais. Uma característica de sua carreira é de trazer um funk mais voltado para o pop, e ele afirma que sempre busca um mix de ritmos.

“Gosto de falar que eu não tenho essa onda de gênero [musical], o funk está na minha voz, o funk está em mim e onde eu estiver vai ter funk”, explica, “mas a minha intenção é não ter limite, é onde tiver uma batida, uma base e alguém me chamar, eu estar lá”.

Ele tenta sempre misturar diversos estilos musicais e comenta que isso é feito há muitos anos, como, por exemplo na música “Loquinha” (2016) de MC K9 e a dupla sertaneja João Lucas e Marcelo. Zaac diz que isso ajuda a representar ainda mais o ritmo musical e quebrar preconceitos que existem.

O MC afirma que ainda sente preconceito com o ritmo, mas diz que já melhorou muito. Ele afirma que outros estilos musicais, como rap e pagode, também foram discriminados e que agora encontraram seu público, assim como o funk. “De tanto que as pessoas gostam e abraçam, nascem os recalques, eu gosto de levar desse lado”, diz.

Zaac comenta que foi através do funk que conseguiu mudar sua vida e a de tantas pessoas a sua volta, e que agora o estilo está “ocupando seu espaço e mostrando que veio para ficar e não vai embora mais”. Além disso, o MC aponta que existem vários tipos de funk, para cada gosto, como o Rave Funk, 150 bpm, ostentação e até mesmo melódico.

Recentemente, o artista lançou seu primeiro EP. Segundo ele, “Linha de Frente” (2021) veio como mais um passo importante em sua carreira e busca trazer uma mensagem alegre. Ele diz que para produzir durante a pandemia foi preciso se adaptar e até brinca que vai pedir para seu coreógrafo o ensinar alguns passos de dança.

No entanto, o fundamental para Zaac é fazer música por paixão. “Quando se ama o que faz, é fazer independente do resultado”, afirma. Sobre o processo de criação durante a pandemia ele afirma que “é saber onde me encaixo, então tá mais desafiador mas tá da hora e bacana.”

Em conjunto com o processo de criação, o MC precisou se adaptar às redes sociais. Ele diz que sempre foi tímido e teve dificuldade de expor o verdadeiro Isaac. Atualmente, o artista afirma que tenta mostrar mais de sua família e até mesmo os treinos e a alimentação mais saudável, para influenciar seus seguidores de maneira positiva.

"Mostro para as pessoas o que elas têm que entender que alimenta o Zaac também, minha base, minha família, é o que me faz ficar de pé”, comenta, “outras coisas eu ainda estou me adaptando para mostrar mais.”

Para ele, o período do isolamento social foi bem complicado. Para além das adaptações na carreira o artista comenta que perdeu uma parente próxima e que foi por “falta de vacina”. “Ela estava quase com a idade para tomar vacina e ela morreu. Foi uma coisa muito triste, é muito triste para mim”, afirma, "tento reverter isso para fazer música boa."

Para o futuro, o MC diz que está preparando diversos singles e pretende focar no lançamento de seu primeiro álbum em 2022, ainda sem data específica. O projeto contará com parcerias antigas e novas e músicas apenas dele também.

Por enquanto, ele se dedica aos treinos e seu novo estilo de vida, e a compartilhar isso com seus fãs, e continua na torcida de que a população se imunize e os shows possam voltar, mas não esconde a animação em falar "logo vou postar uma música nova."​

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem