Música

Felipe Araújo xinga o Conar e emociona os fãs com homenagem ao irmão durante live

Cantor bebeu cerveja e usou palavrões contra o órgão regulador

Felipe Araújo, cantor
Felipe Araújo - Divulgação
São Paulo

O cantor Felipe Araújo, 24, bebeu, falou palavrão e chegou a xingar o Conar (órgão de regulamentação publicitária) durante sua live, realizada na noite desta sexta-feira (24). O mais comentado pelos fãs, no entanto, foi sua homenagem ao irmão Cristiano Araújo, morto em 2015.

Em uma apresentação que durou cinco horas, Felipe cantou sucessos como “Atrasadinha”, “Espaçosa Demais” e “Amor da sua Cama”, e chegou a cair no choro enquanto cantava a música “É com ela que estou”, grava por Cristiano em 2014. Ele não conseguiu terminar de cantá-la.

“Maldade essa live do Felipe Araújo homenageando o irmão. Nem o backing vocal consegue cantar mais”, afirmou um internauta. “Essa live partiu meu coração! Que momento, Felipe Araújo. Linda homenagem”, disse mais um. “Quem está vendo essa live e não está chorando não tem coração”, brincou mais um.

Em meio à muita música, no entanto, Felipe fez questão de pegar um copo, aparentemente de cerveja, e beber diante das câmeras, xingando o Conar, que abriu uma representação na semana passada, contra o Gusttavo Lima, justamente pelo consumo excessivo de bebida alcoólica em sua live.

Na ocasião, o Conar afirmou que as apresentações online, apesar de seguirem um formato inovador, devem seguir “princípios fundamentais da comunicação comercial do segmento, com a divulgação responsável de bebidas alcoólicas e com os cuidados para que não seja difundida a crianças e adolescentes”.

O vídeo da live de Felipe Araújo acabou sendo tirada do ar pelo YouTube, mas, de acordo com sua assessoria, não foi por causa de suas frases contra o Conar ou pelo consumo de bebida alcoólica, mas por ele ter cantado três músicas que não estavam no roteiro musical enviado à plataforma. A live deverá ser editada e inserida em breve.

Esse formato de show ganhou força nas últimas semanas devido à quarentena do novo coronavírus, que cancelou apresentações em todo o país. Antes mais intimista, as lives passaram a ter produções elaboradas, câmeras em drones e patrocínio de marcas famosas, principalmente com os sertanejos.

As grandes lives também têm arrecadado fundos e equipamentos para hospitais e instituições de caridade, além de conscientizar sobre a necessidade de ficar em casa. O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, chegou a fazer aparições pré-gravadas nas lives de Marília Mendonça e Jorge e Mateus.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem