Estilo

Após polêmica com Kimono, Kim Kardashian decide mudar nome de sua coleção de lingerie

'Fiz com as melhores intenções', disse ela sobre escolha de nome

Kim Kardashian com suas lingeries modeladoras
Kim Kardashian com suas lingeries modeladoras - Vanessa Beecroft/ Reuters
São Paulo

Kim Kardashian, 38, anunciou nesta segunda-feira (1º) que não batizará sua nova coleção de lingerie de Kimono, como havia afirmado. O novo nome não foi informado ainda, mas a empresária optou pra troca após alguns pedidos de fãs e acusações de apropriação cultural

“Estou sempre ouvindo, aprendendo e crescendo —aprecio muito a paixão e a diversidade de perspectivas que as pessoas trazem a mim. Quando anunciei o nome da minha linha de roupas modeladoras, fiz isso com as melhores intenções. Minhas marcas e produtos são construídos com inclusão e diversidade em sua essência”, afirmou. 

Por meio de suas redes sociais, Kim agradeceu a compreensão e o apoio dos fãs, mas ainda não disse qual será o nome de sua nova coleção. O termo kimono (quimono, em português), que significa “algo que se usa”, foi usado por Kim como um jogo de palavras com seu nome, mas foi rapidamente ligado à tradicional roupa japonesa. 

O anúncio do nome causou uma tempestade nas redes sociais na semana passada, onde Kim foi acusada de apropriação cultural. No Twitter, a hastag #KimOhNo alcançou os trending topics. O prefeito de Kyoto, antiga capital imperial do Japão, Daisaku Kadokawa, chegou a pedir que reconsidere sua decisão. 

“[Eu peço] que reconsidere a decisão de usar o nome Kimono para sua marca”, pediu em carta escrita em inglês. “O kimono é um traje étnico tradicional criado pela riqueza de nossa história e nossa natureza. Estamos preocupados que uma má interpretação do kimono se espalhe, porque a sra. Kardashian é uma poderosa influenciadora”. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias