Estilo

Em busca do terno perfeito: O que é tendência e como comprar o conjunto ideal

Especialistas dão dicas e falam sobre tendências de tecidos e cores

O alfaiate Joao Camargo, da rede Camargo Alfaiataria, em sua loja no Itaim Bibi. - Robson Ventura/Folhapress

Beatriz Vilanova
São Paulo

Escolher o terno ideal não é tarefa fácil: do colarinho à barra da calça, cada detalhe precisa estar alinhado para que o resultado final triunfe. Por isso, o stylist, consultor de moda, apresentador e editor de revista Arlindo Grund argumenta que é necessário que os homens separem algum tempo para se dedicar a essa compra. “A maioria solicita ajustes no terno, o que só vai conseguir provando na loja, com um profissional que possa ajudar e ver as medidas corretas”, diz. 

O terno, combinação de paletó, calça e, às vezes, colete, surgiu na França, no século 18, e passou por mudanças nítidas ao longo dos anos. Se antes era usado em cortes retos e peças mais largas, hoje é escolhido, principalmente, nas versões mais justas. “Este é o modelo mais procurado. Os homens estão vaidosos, cuidando-se mais e querendo mostrar o corpo”, diz o alfaiate João Camargo, dono da Camargo Alfaiataria.

CAIMENTO

O caimento é o que define o visual final, e os comprimentos precisam estar alinhados. A costura das mangas no paletó, por exemplo, deve estar na linha do ombro. “Caso a costura esteja atrás dessa linha, o terno estará apertado. E se estiver para a frente, estará folgado”, diz o consultor e estilista Luigi Sacchettin, proprietário do Atelier Sacchettin.

Ainda de acordo com o especialista, as mangas devem terminar na altura do osso do pulso. “No modelo justo, vale deixar a manga da camisa aparecer um pouquinho.” Nos pés, atenção à barra da calça: “Se o homem for baixo, os sapatos cobertos vão deixá-lo menor”.

 

Já o paletó deve ser comprido o suficiente para cobrir o zíper da calça. Mas não deve atingir as coxas. “Comprido demais passa a sensação de pernas curtas. Entretanto, se for um homem baixo, pode usar um pouco mais curto para alongar o corpo”, ensina.

Para homens mais gordos, Arlindo Grund indica o uso de colete: “Ele dá uma contida no visual, mas é preciso deixar o último botão aberto, para facilitar a movimentação”. Quem precisa usar terno diariamente e transpira muito pode investir em uma camiseta por baixo da camisa.

TECIDOS E CORTES

Algodão, lã e linho estão entre os principais tecidos utilizados nos ternos. Enquanto o linho entrega um visual mais descontraído e amassa mais, o algodão serve para os dias quentes e cria um visual moderno.

Já a lã é a mais escolhida. João Camargo diz que o que muda é a espessura: “Quanto mais fino o tecido, mais qualidade. Mas, normalmente, pessoas maiores têm de usar materiais mais encorpados”.

A escolha da cor pode variar. “É importante escolher um tom que tenha a ver com o seu estilo, a sua personalidade e, principalmente, com o evento em que você vai usar o terno”, orienta Grund. “Se quiser comprar só um, sugiro que seja azul-marinho ou cinza.”

LAPELAS E BOTÕES

As lapelas são elemento importante no terno. Enquanto as mais finas criam um visual descolado, as mais largas são tradicionais. “Para aumentar o tórax, as lapelas mais largas são perfeitas. Para alongar a silhueta, use as mais finas”, diz Grund.

O apresentador lembra que é preciso que elas estejam em conformidade com a largura da gravata: se uma é mais fina, a outra também deve ser.

Os botões são detalhes importantes: “Três botões são tradicionais; dois são clássicos e ajudam a disfarçar a barriga”, diz Sacchettin. Segundo Grund, o ideal é que o primeiro botão fique acima, ou no máximo na altura, do umbigo. E que o último esteja desabotoado. Ele lembra que é importante desabotoar todos os botões ao se sentar.

GRAVATA E CAMISA

A harmonia entre a gravata e a camisa depende das cores. O preto e o branco fazem uma combinação sem falhas, mas é possível acertar escolhendo uma gravata mais escura do que a da camisa.

“Camisas brancas vão bem com gravatas lisas e estampadas”, diz a consultora de imagem Lilian Riskalla. “Mas camisas escuras com gravatas claras podem causar estranheza.”

Se a gravata tiver cores chamativas, combine-a com camisas mais sóbrias. Quanto ao tamanho, fique atento na hora do nó: ela deve chegar, no máximo, ao cós da calça.

 

A ALFAIATARIA

Responsável por fazer ternos e outras peças de roupa sob medida, alcançando o tão esperado caimento ideal, a profissão de alfaiate é uma questão controversa. “A profissão está em vias de extinção. Embora faça peças exclusivas e com caimento perfeito, os avanços tecnológicos e as indústrias acabam por fabricar peças com mais variedade e preços menores”, diz Arlindo Grund.

Já João Camargo, acredita na volta da profissão: “Quando o homem vai ao alfaiate pela primeira vez, ele se transforma”, diz. "Existe um movimento muito bacana de renascimento de novos alfaiates. Tenho o maior orgulho de dizer que da Camargo Alfaiataria já saíram outras quatro alfaiatarias. E existem novos nomes aparecendo por aí", confirma o profissional da área.

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem