Tony Goes

Ilha Record aposta em caras conhecidas e tem estreia promissora

Formato original da emissora parece colcha de retalhos de outros realities

Sabrina Sato nas gravações do Ilha Record
Sabrina Sato nas gravações do Ilha Record - Divulgação/Record
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

O Brasil exporta novelas para o mundo inteiro, mas nunca criou um reality show de sucesso internacional. Aliás, criou bem poucos realities: entre os exibidos pela nossa TV, quase todos são formatos estrangeiros, comprados a peso de ouro.

Ilha Record pode começar a reverter esse quadro. O novo reality da Record foi desenvolvido dentro da própria emissora, e mostrou grande potencial em sua estreia, nesta segunda (26). Dá até para imaginar que versões estrangeiras serão produzidas em breve.

Não que seja extremamente original. A grosso modo, trata-se de um BBB à beira-mar. O elenco, composto quase que inteiramente por subcelebridades, remete a outro luminar do gênero, A Fazenda. A ambientação ao ar livre e a divisão em times é decalcada de No Limite.

Para reforçar a sensação de déjà vu, quase todos os 13 participantes –chamados de "exploradores"– são veteranos de outros realities. Alguns já estão no terceiro ou quarto.

A aposta em caras conhecidas denota uma certa falta de ousadia, além de não ser nenhuma garantia de êxito: a quinta temporada de No Limite (Globo), encerrada há uma semana, só tinha ex-BBBs, e mesmo assim não caiu no gosto do público.

O elemento mais exótico do programa pouco apareceu neste primeiro episódio. Trata-se do Guardião da Ilha, uma figura encapuzada que distribui instruções e tem o poder de interferir no jogo. Por enquanto, ele entrou mudo e saiu calado.

Os conflitos começaram a se desenhar ainda na escuna que trouxe os competidores para a ilha no litoral de Paraty (RJ) onde se desenrola a ação. Como primeiríssima prova, todos tiveram que se atirar ao mar e nadar uma distância curta até a terra firme. Os dois primeiros colocados, Thomaz Costa e Claudinho Matos, ganharam R$ 10 mil cada um, além do direito de liderar uma das duas equipes que se formaram –respectivamente, Esmeralda e Rubi.

Na escolha dos integrantes, aflorou o etarismo. O ex-jogador Dinei, de 51 anos de idade, foi rejeitado por Claudinho e despachado para o time de Thomaz. No entanto, no dia seguinte, ele venceu uma das etapas da complicada prova de habilidades físicas, ajudando a equipe Esmeralda a se sagrar campeã.



Sabrina Sato não decepcionou. Há mais de um ano no estaleiro, a apresentadora se mostrou afiada, cheia de entusiasmo e bom humor. Não vou nem comparar com o desanimado André Marques, porque seria covardia.

A estreia de Ilha Record foi bem além da habitual apresentação dos jogadores. Teve treta, teve suspense, teve diversão. Mesmo sendo uma colcha de retalhos de outros realities, o formato se revelou promissor. A julgar pela reação dos internautas, a audiência está garantida. Rodrigo Carelli, o Boninho da Record, marcou um golaço.

E os maiores bafos ainda estão por vir. Antes mesmo do programa ir ao ar, o youtuber Pyong Lee e sua mulher Sammy se separaram –supostamente, por ele ter tido um caso com a modelo Antonella durante as gravações. Essa ilha ainda vai pegar fogo.

Tony Goes

Tony Goes tem 60 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.com.br

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem