Tony Goes

Será que a bilheteria do filme sobre Edir Macedo é 'fake'?

A dez dias da estreia, o longa já tem mais de 3 milhões de ingressos vendidos antecipadamente

 

Já vimos este filme antes. Dois anos atrás, uma versão para o cinema da novela "Os Dez Mandamentos" (Record) tornou-se a maior bilheteria de todos os tempos do cinema brasileiro. Ultrapassou os 11 milhões de ingressos vendidos e destronou o campeão anterior, "Tropa de Elite 2 - O Inimigo Agora é Outro" (2010).
 
O curioso é que, quando o filme estreou, a novela saíra do ar havia pouco mais de dois meses. De onde surgiu tanta gente disposta a pagar para ver na tela grande o que havia recém-visto de graça na TV?
 
Mais curioso ainda é que logo surgiram relatos de sessões esgotadas e vazias. Isso mesmo: todos os ingressos haviam sido vendidos e, no entanto, o público não apareceu. A Record e sua controladora, a Igreja Universal do Reino de Deus, se defenderam das acusações de que estavam tentando inflar artificialmente os números de "Os Dez Mandamentos". 
 
Justificaram que lotes de ingressos teriam sido adquiridos por pastores, para serem distribuídos a suas congregações. O curioso é que esses fiéis não quiseram ir ao cinema, nem mesmo de graça.

Um fenômeno equivalente parece estar preste a acontecer. No dia 29 de março, estreia em todo o Brasil o filme "Nada a Perder", o primeiro de uma trilogia sobre a vida de Edir Macedo, o fundador da Universal.
 
A dez dias da estreia, o longa já acumula mais de 3 milhões de ingressos vendidos antecipadamente. Um recorde absoluto, e mais que o dobro de toda a bilheteria do filme nacional de maior sucesso de 2017: "Policia Federal - A Lei é para Todos", que teve cerca de 1,2 milhão de pagantes.
 
Claro que é possível que evangélicos de todas as correntes --e não só da Iurd (Igreja Universal do Reino de Deus)-- estejam se mobilizando para assistir à cinebiografia de um de seus maiores líderes.
 
Além do mais, "Nada a Perder" ganhou uma maciça campanha publicitária, com chamadas frequentes nos intervalos da Record. Como se não bastasse, Silvio Santos determinou que o SBT veiculasse comerciais gratuitos para o filme, depois de tê-lo assistido em sessão privada e se emocionado.

E bastante provável que, com tanto apoio, "Nada a Perder" se tornasse um genuíno campeão de bilheteria. Filmes de temática religiosa costumam ir bem no Brasil, e a Universal tem uma força considerável sobre seu rebanho.
 
Mas a denominação também gosta de projetar um poder maior que o que realmente tem. Aliás, essa é uma característica de muitas denominações neopentecostais: passar a impressão de que estão crescendo sem parar e que não falta muito para o Brasil inteiro se converter a seus ditames.

É verdade que a bancada religiosa cresceu muito em todas as últimas eleições. Só que, na verdade, ela cresceu mais do que o número de fiéis, que vem se estabilizando. Só que esses fiéis são mais organizados e motivados que outros segmentos da população, e conseguem eleger mais representantes.
 
Cabe a imprensa, como sempre, fiscalizar a verdadeira frequência dos cinemas que exibirão "Nada a Perder". Independentemente da qualidade do filme, é preciso saber se ele realmente será esse sucesso todo que seus produtores vêm alardeando.

Veja salas e horários de exibição.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem