Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Zapping - Cristina Padiglione

'Vai que Cola' volta a substituir Bial nos fins de noite

Globo exibe 8ª temporada do humorístico do Multishow

Dona Jô (Catarina Abdalla) e Sanderson (Marcelo Médici) - Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Pelo segundo ano consecutivo, as férias de Pedro Bial serão honradas com a exibição do "Vai que Cola", programa humorístico popular criado originalmente para o Multishow. A partir desta segunda-feira (20), a Globo seleciona a 8ª temporada do programa, inédita na TV aberta, para a vaga das entrevistas de fim de noite.

Convém reparar que o Conversa com Bial é o único produto fixo na grade de programação da Globo que ainda não saiu do sistema especialmente criado em função da pandemia.

Mas na edição desta sexta-feira (17), quando se despediu da temporada do ano, Bial bem que saiu da sala de casa, onde tem gravado todas as conversas desde a metade de 2020, para encontrar presencialmente o cantor e compositor Mateus Aleluia em sua terra de origem: Cachoeira, na Bahia.

Talvez isso já valha como indício de que o programa possa sair da toca em 2022, e se não saiu até agora é porque tem funcionado até melhor do que com aquela estrutura de plateia presencial: ao falarem diretamente de suas casas, sem auditório como testemunha, os entrevistados acabam se abrindo mais, como se constatou em várias entrevistas.

DO MÉIER AO LEBLON

A escalação do "Vai que Cola", no ano passado, trouxe bons efeitos à audiência do horário. Daí a volta do programa durante o recesso de férias de seu titular. A diferença é que o humorístico acabou virando título fixo na programação, já que tem ocupado também o lugar do extinto "Zorra", nas noites de sábado, vaga que abandonará enquanto estiver no ar de segunda a sexta.

A 8ª temporada do "Vai Que Cola" leva os moradores da pensão da Dona Jô (Catarina Abdalla) do Méier ao Leblon, uma viagem geográfica não tão distante quanto acusa o mapa social e econômnico da zona sul carioca. Os hóspedes vão morar no apartamento de Valdo, personagem que traz de novo o saudoso Paulo Gustavo à cena, em participação especial no primeiro episódio.

A safra também conta com Alice Borges no papel da síndica Nivalda, além da chegada dos personagens Tomás (Ricardo Tozzi) e Bebeto (Maurício Manfrini).

Na história, Valdo precisa se manter foragido do Brasil por causa de artimanhas de seus parentes. Para preservar seu apartamento no Leblon, ele sugere que Ferdinando (Marcus Majella) more sozinho no local e deixe tudo em ordem. O ex-concierge aceita a proposta, mas, quando descobre o valor do condomínio, convida Terezinha (Cacau Protásio) para dividir o local e os gastos com ele.

Ela, por sua vez, chama Dona Jô e Jéssica (Samantha Schmütz).

Dona Jô resolve tirar um ano sabático no novo apartamento e deixa a pensão nas mãos de Alejandro (Pedroca Monteiro), que segue em seu namoro colorido com Ferdinando.

No novo endereço, o porteiro Bebeto inicia um romance com Terezinha e Hélio (Paulinho Serra em novo personagem), um morador rico e maluco do prédio, se apaixona por Dona Jô. Entre os vizinhos, está Tomás, playboy em decadência que não quer abandonar o Leblon, na pele de Tozzi.

Marcelo Médici, Silvio Guindane e Luís Lobianco, que já participaram de outras temporadas, seguem no programa. Realizadas em 2020, as gravações da 8ª temporada não contaram com plateia presencial.

"Vai que Cola" tem coordenação de Arnaldo Bloch e Felipe Vianna, com texto final de Vitor de Oliveira, Molusco, Renata di Carmo e Luiza Conde. O time de roteiristas inclui João Santucci, Daniel Porto, Julia Lordello e Mariah Schwartz, com colaboração de João Niella, Alan Ferreiras, Milena Batista e Beatriz Leal. A direção é de Régis Faria e João Fonseca, com realização da produtora A Fábrica.

Zapping - Cristina Padiglione

Cristina Padiglione, 50, é jornalista e escreve sobre assuntos relacionados à televisão. Ela cobre a área desde 1991, quando a TV paga ainda engatinhava. Ela passou pelas Redações dos jornais Folha da Tarde (1992-1995), Folha (1997-1999) e O Estado de S. Paulo (2000-2016), entre outras publicações. Ela também tem o blog Telepadi (telepadi.folha.com.br), hospedado no site da Folha.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem