Alexandre Orrico

BBB21: Ascensão e queda de Fiuk

Antes um dos favoritos, agora parece pouco provável que ator chegue à final

Fiuk - Globo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Dos 20 famosos e anônimos que entraram na casa do Big Brother Brasil 21, Fiuk provavelmente era o mais conhecido do público geral. Ator de novelas da Globo, com passagem pela MTV e integrante de uma família famosa, ele tinha tudo para assumir o personagem de protagonista.

Quando entrou, inclusive, formou-se uma rodinha de mulheres em volta dele, o que gerou conversa e memes sobre a malemolência do homem emo. Mas a alegria durou pouco: bastaram alguns dias de programa para que Fiuk aparecesse meio baqueado e chorasse com frequência.

Não há mais nem sombra das pessoas que o rodearam no começo do programa e o ator despertou o ranço até em Juliette, que no início dizia estar apaixonada pelo ator.

O sobe e desce do número de seguidores nas redes sociais pode funcionar como um termômetro da popularidade dos participantes da casa. No Instagram, por exemplo, Filipe Kartalian (verdadeiro nome de Fiuk) teve um início meteórico: ganhou 1,1 milhão de seguidores nos primeiros dias de programa.

Mas, há mais de uma semana, ele, todos os dias, perde seguidores. A baixa acumulada já é de 60 mil. A única exceção foi o dia 4 de fevereiro, quando ganhou pouco mais de 5.000 seguidores. Não por coincidência foi este o dia do beijo (xoxo) entre ele e Thaís.

Os seguidores que partiram parecem poucos em comparação aos que chegaram, mas o importante é que a tendência é de queda. Análise de outros participantes com desempenho semelhante nas redes e de quem Fiuk está próximo, como Karol Conká, integrante do que é conhecido como “Gabinete do Ódio”, dá pistas de um dos fatores que pode estar puxando Fiuk para baixo.

Karol, inclusive, desabafou nesta segunda-feira (8) com ele. Tainá Galvão, irmã de Fiuk, disse que a cantora estaria influenciando negativamente ele. No total, Karol já perdeu mais de 300 mil seguidores.

Fiuk mostra estar sendo guiado pelo medo: para tentar evitar ser cancelado, fez até curso de “cultura social” e já disse a Nego Di que tem “medo de dizer o que não deve”, o que faz com que apareça pouco no jogo.

Também pode ter contribuído para o ranço dentro e fora da casa a desconstrução que parece meio forçada, quando disse que o certo não é dizer senhora ou senhor, e sim “senhore”, ou no diálogo constrangedor com Lumena, quando disse que ela “tirou a cor” dele.

Até briga por desperdiçar carne Fiuk arrumou, o que deve ser apontado como um dos motivos, cedo ou tarde, para colocá-lo no paredão. Seja como for, Fiuk, que entrou como um personagem com grande potencial, parece ter poucas chances de avançar.

Alexandre Orrico

Foi repórter e editor da seção de tecnologia da Folha entre 2009 e 2015. Colaborador da Folha, hoje trabalha para a ICFJ (International Center for Journalists) e edita o Núcleo Jornalismo.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem