Cinema e Séries
Descrição de chapéu Cinema

Atores de 'Diário de um Confinado' gravaram as próprias cenas pelo celular

Eles foram dirigidos à distância e atuaram com Bruno Mazzeo por chamadas de vídeo

Bruno Mazzeo é Murilo em 'Diário de um Confinado'
Bruno Mazzeo é Murilo em 'Diário de um Confinado' - Glauco Firpo/Globo
São Paulo

Arlete Salles, Débora Bloch, Fernanda Torres, Lázaro Ramos, Lúcio Mauro Filho, Marcos Caruso, Matheus Nachtergaele, Renata Sorrah. Estes são apenas alguns dos 26 nomes que contracenam com Bruno Mazzeo na série "Diário de um Confinado", criada por ele e pela sua mulher, Joana Jabace (é ela também quem faz a direção artística do projeto).

Com exceção de Débora Bloch, que é vizinha do casal, e Nachtergaele, que mora no prédio ao lado, os atores foram dirigidos à distância e contracenam com Bruno por chamadas de vídeo. Seguindo os protocolos da produção remota, foram eles mesmos que fizeram a captação de suas cenas por meio de um kit de gravação por celular, preparado para uso individual e enviado à residência de cada um.

“Quando começamos a escalar, tivemos a premissa de fazer um projeto muito afetuoso, cercado de pessoas que ficariam entusiasmadas, felizes como nós neste trabalho. Quisemos nos cercar de pessoas com quem temos intimidade porque dirigir remotamente, não estar no ao vivo com a pessoa, é mais delicado”, conta Joana Jabace.

Mazzeo, que interpreta o protagonista Murilo, conta que a escolha dos nomes foi acontecendo naturalmente e pensadas pelo casal. “É um elenco muito em casa, a gente se frequenta. São pessoas muito próximas a mim, ou à Joana ou aos dois. Curiosamente, finalmente contracenei com a Nanda [Fernanda Torres], depois de um fazer texto do outro. E tive a honra de fazer cenas pela primeira vez com Arlete Salles e Renata Sorrah, que estão entre minhas atrizes preferidas", contou.

"Com Nanda e Lucinho [Lúcio Mauro Filho] o fato de termos total intimidade ajudou muito. E, finalmente, realizei o desejo de contracenar com Debi [Débora Bloch], mesmo que em condições completamente diferentes das de um set normal”, acrescentou Mazzeo.

Em "Diário de um Confinado", Murilo está passando por todas as etapas do isolamento social. Tem tentado aprimorar os dotes culinários, já se apegou –e batizou– um eletrodoméstico, se viu muito preocupado com a saúde, participou de inúmeras conversas por aplicativo de vídeo, de papos em família a festinhas e sessões de terapia, passando, inclusive por uma reunião de condomínio.

Os 12 episódios da série estão disponíveis no Globoplay. Na Globo, a cada sábado de julho, três crônicas mostram as aventuras, loucuras e paranoias de Murilo durante a sua quarentena. Veja a seguir, um resumo de cada episódio:

As 12 crônicas de Murilo

Uma ida ao mercado para ver se o mundo ainda existe mesmo. E para descobrir que tem uma vizinha

No episódio ‘Vizinha’, Murilo finalmente conhece Adelaide (Débora Bloch). Antes da quarentena, um mal sabia da existência do outro. Sempre ultraprotegida, ela o julga a cada encontro eventual pelo corredor do prédio, seja pela falta de proteção do protagonista ou por seu excesso de saídas. Mas a política da boa vizinhança, mesmo em tempos de isolamento, acaba gerando empatia e uma troca de gentilezas entre os dois.

Pizza: metade paranoia, metade loucura, com bastante orégano

Uma boa comidinha caseira. Seria essa uma das vantagens do confinamento? Não para Murilo. Para variar o cardápio, regado até agora a macarrão instantâneo, nuggets, salsicha e salgadinhos, ele resolve pedir uma pizza. Mas acionar o delivery se torna uma grande aventura em tempos de isolamento social. Depois de uma conversa por telefone com a mãe, Marília (Renata Sorrah), a confiança de Murilo no serviço de entrega vai por água abaixo, e a refeição se torna uma verdadeira aventura. Mas nada que uma boa dose de álcool em gel não possa resolver.

Tantos dias confinado, e parece que Murilo vai surtar. Para esses dias (tipo, todos) análise

Murilo já não se lembra mais quando colocou a cara para fora de casa pela última vez. A quarentena tem deixado sua cabeça desorganizada. Ele faz análise há oito anos e, em tempos de pandemia, a saída é recorrer às consultas online. Mas não é tão simples quanto parece, já que sua analista, Leonor (Fernanda Torres), no meio do atendimento, precisa lidar com as interrupções do filho para resolver as questões do seu próprio dia a dia.

Rotina: para não pirar, é preciso organizar o dia

É preciso criar uma rotina na vida de Murilo para que os dias não pareçam sempre os mesmos. E para que não falte roupa para vestir ou comida na despensa. A partir de agora, Murilo decide se organizar e acha que a saída é ter horário para tudo. Mas, para dar certo, ele não pode procrastinar nem adiar o despertador. É necessário muita disciplina. Leonor, a terapeuta, propõe que ele organize melhor o seu dia. Para isso, os hormônios do bem-estar são fundamentais: endorfina, serotonina, melatonina e rotina. Morfina, não!

Sozinho é mais difícil. Para amenizar a 'carentena' de Murilo, um 'date'

Murilo ficou solteiro umas duas semanas antes do confinamento. Mas, se soubesse que entraria em isolamento social, ele diz acreditar que adiaria o plano de terminar o relacionamento. Agora se sente carente e, para amenizar a solidão, decide recorrer a encontros online. Mas o date virtual pode não sair como o esperado e achar o par perfeito acaba se tornando mais um desafio no confinamento do personagem.

É preciso achatar a curva da paranoia. Um médico resolve?

Murilo pensa umas 12 vezes por dia que está doente. E aciona seu médico, Dr. Guilherme (Lázaro Ramos) em quase todas elas. Os dias de isolamento têm o deixado mais paranoico sobre a saúde. Nas consultas virtuais, ele tenta encontrar um diagnóstico –preocupante– a qualquer custo. Afinal, em tempos de quarentena, até um quadro assintomático pode representar uma doença séria. No episódio ‘Médico’, Murilo dá sorte das consultas não serem cobradas a cada ligação.

Exercício: Murilo está decidido a entrar no projeto verão

Se teve uma coisa que não mudou na quarentena de Murilo foi a rotina de exercício físico: o começo é sempre adiado para a segunda-feira seguinte. Antes da #fiqueemcasa, ele já ficava em casa. Pelo menos na hora de malhar. Mas não se espera que as pessoas saiam as mesmas depois do isolamento e Murilo até está pensando em levar seu lado atleta mais a sério. Para dar certo, vai precisar organizar os horários dos seus compromissos diários. Ou então, nenhuma roupa caberá mais no moço.

Murilo ‘chef’ e a transformação do arroz: primeiro vira risoto, depois um caso de família

Antes da quarentena, Murilo mal entrava na cozinha. Agora, ele acha que está cozinhando cada vez melhor, mas cansou de gourmetizar os pratos e quer se arriscar na culinária trivial. Ele só não imaginava que fosse tão difícil. Preparar o bom e velho arroz e feijão ganhará ar de gincana, com direito até a uma leve competição entre a mãe Marília (Renata Sorrah) e a tia Rita (Arlete Salles).

Um sábado diferente na quarentena de Murilo tem festinha

Um sábado sem cara de dia de semana tem que ter festinha. Online, mas já é alguma coisa. Afinal, a vida social, mesmo em quadradinhos, não pode parar. Mas Murilo não poderia imaginar quão inusitada –e furada– poderia ser essa nova experiência.

O fim das roupas limpas é um sinal: chegou o dia da faxina

Acabaram as roupas limpas de Murilo, e o momento de, finalmente, dar atenção às tarefas domésticas, chegou. Dalva (Georgette Fadel), sua salvadora nos cuidados com a casa, vai orientá-lo sobre o que e como fazer a limpeza. Além dela, Murilo vai ganhar um reforço de peso: o aspirador robô. E se afeiçoar ao equipamento, o tratando como um bichinho de estimação. A carência de Murilo está sem freio.

Reunião de Condomínio: novos tempos pedem novas desculpas

Reunião de condomínio é sempre um evento cheio de emoção. E Murilo sempre tentou fugir das de seu prédio. Só que na quarentena, o encontro será online e as desculpas para não participar ficam mais escassas. Murilo até vai tentar, mas não vai conseguir escapar do compromisso com o síndico Sr. Leopoldo (Marcos Caruso), o vizinho cantor de ópera, Olavo, (Moacyr Franco) e Adelaide (Débora Bloch).

Último: é preciso se acostumar com o novo normal, seja ele qual for

Murilo já perdeu as contas de quantos dias de confinamento já se passaram. As medidas de isolamento social estão começando a amenizar, mas ele, ao contrário, se sente cada vez menos relaxado, mesmo em tarefas cotidianas. Para não enlouquecer, decide dar uma volta, com toda a proteção que encontra em casa: capuz, luva, máscara. No passeio, encontra Jaime (Matheus Nachtergaele), o amigo de um amigo que, nesse novo normal, até parece um velho companheiro do próprio Murilo. É o novo normal.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem