Carnaval

Rainha de bateria da Colorado do Brás desfila ao lado da filha de dez anos

Muriel Quixaba herdou gosto da mãe pelo Carnaval e agora incentiva a pequena Izabelly

Muriel Quixaba, destaque da escola de samba Colorado do Brás

Muriel Quixaba, destaque da escola de samba Colorado do Brás Adriano Vizoni/Folhapress

  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Na casa de Muriel Quixaba, Carnaval vem de berço. Sambista desde os cinco anos de idade, quando a mãe a acompanhava nos ensaios da Rosas de Ouro, ela nunca deixou de comparecer às quadras. Hoje, ela está à frente da bateria da Colorado do Brás pelo quarto ano consecutivo, ao lado da filha Izabelly, 10, que desfila como rainha mirim da escola.

"O Carnaval para mim é uma coisa de família, porque vem da minha mãe, foi passado por gerações. Hoje, na Colorado, meu marido é chefe de ala. Toda a nossa família está junta no Carnaval", conta.

Espelho de um grande público, a passista conta que toma cuidado com os figurinos que veste e com sua postura dentro e fora da avenida. "Muitas crianças me acompanham porque somos mãe e filha à frente da bateria. Eu tomo um certo cuidado. Estou num cargo que transparece tudo aquilo e o Carnaval é: a alegria e a sensualidade também, mas acho que tudo deve ter seu peso e sua medida", afirma.

Ela conta que conversa com a filha em casa sobre temas como a exposição e a dedicação ao Carnaval. "Eu tomo muito cuidado. Eu converso muito com a Izabelly, porque a gente tem uma relação de mãe e filha e também de amigas. Às vezes ela vê algo no YouTube e pergunta se pode usar também. Explico que eu tenho uma certa idade e ela tem outra."

Apesar da responsabilidade, ela conta que encara o desafio com leveza. "Eu trato com amor, porque não um simples ser rainha, quando eu entrei, tomei um susto! É muita responsabilidade tomar o lugar de uma rainha que tinha 17 anos de escola. Mas eu já tinha certa ligação com o pessoal da bateria, foi muito carinho, muita dedicação", diz.

Na semana passada, a musa sofreu um acidente doméstico enquanto faxinava sua casa, na zona norte de São Paulo. Ela chegou a ter paralisia parcial após bater a cabeça e as costas na quina de um móvel, mas, de acordo com a equipe médica que a atendeu, ainda está apta a desfilar. Ela se recupera em casa, realizando sessões de fisioterapia.

A Colorado do Brás é a segunda escola a percorrer o Anhembi no segundo dia de desfile do grupo especial, no sábado do dia 22 de fevereiro. Neste ano, o enredo da agremiação é "Que Rei Sou Eu? e vai abordar a história de dom Sebastião, rei português desaparecido na batalha de Alcácer-Quibir, no norte da África, em 1578.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem