Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Celebridades
Descrição de chapéu BBC News Brasil

Johnny Depp x Amber Heard: O que acontece após depoimentos em tribunal

Equipe de Johnny Depp tenta desacreditar sua ex antes dos argumentos finais

Johnny Depp e Amber Heard - Reuters/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

BBC News Brasil

O julgamento por difamação do astro de Hollywood Johnny Depp contra sua ex-mulher e também atriz Amber Heard continuou esta semana, após um intervalo de cinco dias.

O julgamento havia sido interrompido porque a juíza Penney Azcárate tinha um compromisso pré-agendado na semana passada. Amber Heard continuou na terça-feira (17) a ser interrogada pelos advogados de Depp.

O julgamento está programado para terminar em 27 de maio e novas testemunhas de ambos os lados são esperadas. Depois das alegações finais dos advogados, o júri fará sua deliberação. Não se sabe quanto tempo o júri precisará para chegar a um veredicto.

O QUE ACONTECEU NA TERÇA-FEIRA?

A equipe jurídica de Johnny Depp acusa Amber Heard de usar drogas, espancá-lo e manipular fotos usadas como prova do abuso que ela diz ter sofrido.

A atriz de 38 anos foi questionada sobre suas alegações de que Depp se tornou violento ao usar álcool e drogas.

Em especial, os advogados de Depp focaram em uma longa discussão de 2015 entre o ex-casal na Austrália. Esse momento foi discutido repetidamente ao longo do julgamento.

Depp afirma que sua ex-mulher cortou a ponta do seu dedo ao arremessar uma garrafa de vodka contra ele. Mas Heard diz que Depp a agrediu sexualmente com uma garrafa.

A defesa de Depp questionou por que Heard não procurou atendimento médico apesar de alegar que sofreu cortes e contusões. "Foi você quem agrediu outra pessoa com uma garrafa na Austrália, não foi, Sra. Heard?", disse a advogada de Depp, Camille Vasquez. Em resposta, Heard enfatizou: "Eu nunca agredi Johnny".

No entanto, ela reconheceu ter batido em Depp em várias ocasiões, o que ela afirma que aconteceu depois de "anos sem me defender". Além disso, os jurados viram um trecho de um diário no qual ela parece estar se desculpando com Depp.

"Desculpe, eu posso perder a cabeça. Sinto muito por ter te machucado", escreveu ela. "Eu posso ficar mal quando estou ferida." Heard afirmou que "é importante se desculpar quando você está tentando superar as brigas".

Os jurados também ouviram um áudio em que Heard diz ao então marido que "fica tão brava que perde a paciência" e que não pode prometer que "não vai usar a força".

Vasquez também questionou a veracidade de uma fotografia de maio de 2016 em que Heard alega sequelas do suposto abuso físico de Depp. "Não é verdade que você editou essas fotos?", perguntou a advogada. Heard respondeu: "Não, nunca editei uma fotografia."

Heard reiterou que o uso de drogas por Depp era uma fonte de tensão em seu casamento.

Durante vários dias de depoimentos neste mês, Heard disse repetidamente que Depp tentava controlar a carreira dela —e que às vezes ficava com ciúmes de seus colegas de elenco.

Heard falou sobre as explosões de Depp e as vezes em que ele se cortava com uma faca ou se queimava com um cigarro durante as constantes discussões.

A defesa de Depp exibiu duas fotos de Amber Heard tiradas imediatamente após os supostos ataques nas quais ela não parece ter sequelas ou marcas em seu rosto ou corpo. Heard disse que usou gelo para reduzir o inchaço e cobriu as lesões com maquiagem.

TESTEMUNHAS

Antes do início do julgamento, Depp e Heard apresentaram uma lista de testemunhas que suas equipes jurídicas podem chamar. Cada lado apresentou objeções contra as respectivas testemunhas do outro, de modo que a lista vem mudando.

Entre as possíveis testemunhas está Ellen Barkin, famosa atriz que dividiu a tela com Depp em "Medo e Delírio em Las Vegas".

Durante o julgamento anterior por difamação de Depp no ​​Reino Unido, Barkin teria acusado o ator de arremessar uma garrafa de vinho em um quarto de hotel. Depp disse que a alegação é "falsa", segundo a Reuters, acusando Barkin de nutrir ressentimento por ele.

A irmã de Amber Heard, Whitney Henríquez, também pode testemunhar. Em uma declaração anterior, ele disse que "implorou" a Heard para que ela não se casasse com o ator.

A irmã de Johnny, Christi Dembrowski, já depôs em abril (como parte das testemunhas de Depp), enquanto sua outra irmã, Debbie Depp, está na lista de Heard e pode testemunhar em breve.

A tão esperada aparição em vídeo do bilionário Elon Musk, com quem Heard supostamente teve um caso, não acontecerá, disse uma fonte ao jornal britânico The Independent. A aparição em vídeo do ator James Franco também foi cancelada, embora ele estivesse em ambas as listas de testemunhas. Paul Bethany, amigo de Depp, também não testemunhará.

E O VEREDITO?

Outras testemunhas serão chamadas após o interrogatório de Amber Heard terminar no final desta semana. Em seguida, virão os argumentos finais dos advogados. Com isso, o júri iniciará as deliberações, mas não se sabe quanto tempo ele precisará para chegar a um veredicto.

O julgamento é um processo de difamação de US$ 50 milhões (R$ 250 mi) movido por Johnny Depp contra Heard e um processo de US$ 100 milhões (R$ 515 mi) de Amber Heard contra Depp.

O que está claro é que ninguém enfrentará pena de prisão, segundo os analistas dos canais que transmitem o julgamento. E eles dizem que ambas as partes estão cientes da possibilidade de que ninguém receba qualquer indenização. Mas se Amber Heard não for considerada culpada, Johnny Depp terá que cobrir seus custos legais.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem