Celebridades

Luísa Sonza quebra o silêncio sobre ataques: 'Não sei quando vou voltar'

Cantora foi ameaçada após a morte do filho de Whindersson Nunes

Luísa Sonza - Jonathan Wolpert/Divulgação
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Luísa Sonza, 22, falou pela primeira vez sobre a série de ataques que a levaram a se afastar das redes sociais e adiar o lançamento de seu novo álbum. A cantora chegou a receber ameaças de morte após o falecimento do filho do ex-marido, Whindersson Nunes.

"Depois desses últimos acontecimentos, dessas ameaças, ficou incontrolável", disse ela em entrevista à Elle Brasil. "Eu estava sentada no chão do meu quarto tendo uma crise, abri os stories e pedi para as pessoas pararem: 'Parem! Eu não aguento mais!'."

"Por sorte, o meu assessor digital e a minha assessora estavam na minha casa no momento", afirmou. "Eu estava no quarto, eles abriram a porta e me tiraram do chão, com o celular nas mãos. Eles me acolheram naquela hora."

"Em um primeiro momento, fui afastada das redes sociais mesmo, porque estava em crise", contou. "E agora excluí todas elas do meu celular. A minha equipe é que fica olhando e me mandando várias mensagens carinhosas. Agora não estou com cabeça para lidar com a internet novamente. Preciso realmente cuidar um pouquinho da minha saúde mental."

Ela diz que o detox digital está fazendo efeito e ela tem se sentido melhor. "Eu sou uma jovem de 22 anos, cria das redes sociais, uso como uma grande ferramenta de trabalho e ali realizo meu sonho de ter contato com meus fãs e de ver a minha música", avaliou. "Mas não sei quando vou voltar a mexer na internet como era antes, aquela coisa todo dia, o dia inteiro, como uma jovem qualquer."

"Depois dessas últimas ameaças, não vejo mais sentido em ter que ver tudo isso", disse. "Preciso me cuidar para também tranquilizar a minha família. E tenho que pensar na minha equipe e na família do [meu namorado] Victor. Sandra, a minha sogra, de um ano pra cá, viu o filho tendo o trabalho e o sonho prejudicados por nada. Isso ultrapassa qualquer coisa que eu já tenha visto. O que é isso? É uma coisa chocante? Desesperadora? Qual a palavra para isso?"

Sobre o adiamento do álbum, ela diz que foi necessário. "Chegou um ponto em que tive que parar para processar tudo", afirmou. "É um álbum que escrevi e produzi. Um trabalho que levou 14 meses e que me fez crescer e me conhecer. Hoje estou mais consciente do que sou e do quero como artista. Foi um processo muito artesanal."

"Quando eu melhorar, ainda não sei quando, vou vestir a minha capa de Luísa Sonza, a persona, para lançar o álbum e as outras coisas, mas depois vou ficar um pouquinho afastada", adiantou. "Caso contrário, não vou aguentar. Agora estou um pouco triste ainda para fazer isso."

Ela contou que, além de não usar as redes, tem procurado cuidar de si. "Estou fazendo muita terapia", contou. "E também estou fingindo que não sou a Luísa Sonza, sou só a Luísa! (risos). Ela é o meu maior amor, a minha carreira, esse personagem que construí. Mas agora ela precisa ficar um tempinho guardada lá no canto."

"E estou aqui num lugar lindo, com meu namorado e meus amigos", disse. "Se eu estivesse agora no Brasil, com o celular na mão, você ia ver outra Luísa, provavelmente respondendo a todas as perguntas aos prantos."

A cantora afirmou que o que a faz continuar é o carinho dos fãs. "Se não tivesse todo esse amor em contrapartida, não faria sentido nenhum eu estar aqui, depois de seis anos levando essas pauladas", analisou. "A galera acha que não, mas foi bem aos pouquinhos que eu conquistei meu lugar com meu público e pretendo mostrar o meu trabalho mais e mais. As pessoas que me acompanham é que me dão vida. Ninguém aguentaria essa situação sem ter também uma imensa recompensa amorosa."

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem