Celebridades

Marilyn Manson nega acusações de abuso e diz que são 'distorções da realidade'

Evan Rachel Wood, ex-noiva do cantor, o acusou de assédio e estupro

O cantor Marilyn Manson durante o Festival Astroworld no NRG Stadium, em Houston, Texas. - Suzane Cordeiro/AFP/9-nov-2019
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O cantor e compositor Marilyn Manson, 52, se posicionou em suas redes sociais após ser acusado de assédio e estupro por diversas mulheres. "Obviamente minha arte e minha vida sempre foram ímãs para polêmica, mas essas afirmações recentes sobre mim são horríveis distorções da realidade", escreveu em seu Instagram.

"Meus relacionamentos íntimos sempre foram totalmente consensuais com companheiras que pensam como eu. Independentemente de como, e por quê, outras estão optando hoje por manipular o passado, esta é a verdade", completou o artista.

Essa é a primeira manifestação pública da parte do cantor desde que sua ex-noiva, a atriz Evan Rachel Wood, 33, o acusou de ter cometido abusos e violência doméstica contra ela. "Ele começou a me assediar quando eu ainda era uma adolescente e abusou terrivelmente de mim por anos", afirmou a atriz. Os dois começaram o relacionamento quando Rachel Wood tinha 19 e Marilyn Manson 36.

Os artistas namoraram oficialmente entre 2006 e 2010, e em 2018 a atriz chegou a prestar depoimento no Comitê de Assuntos Judiciais da Câmara dos Representantes, para contar sobre os abusos físicos e psicológicos que sofreu como vítima e também relatou já ter sofrido estupros. Evan Rachel Wood revelou o nome de seu abusador apenas nesta segunda-feira (1).

Segundo a Vanity Fair, além da atriz, outras quatro mulheres que afirmam ter tido relações afetivas com o cantor também acusaram o artista de manipulação, assédio e abusos. Uma delas, que esteve com Marilyn Manson em 2015 também menciona vários estupros.

A atriz Rose McGowan, 47, conhecida por estar em séries como "Era Uma Vez" (2011), que esteve com o cantor no início dos anos 2000 disse: "Apoio Evan Rachel Wood e as outras mulheres corajosas que deram um passo à frente".

Após as acusações se tornarem públicas a gravadora do cantor rompeu o contrato com ele. A Loma Vista Records apagou a página do cantor em seu site e declarou ao site The Hollywood Reporter que "não vai mais promover o álbum recente de Marilyn Manson ou trabalhar com ele em projetos futuros".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem