Celebridades

Donald Trump se desfilia de sindicato de atores antes de provável expulsão

Após invasão ao Capitólio, instituição afirmou que ex-presidente atacou a democracia

Donald Trump - Saul Loeb/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

O ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump se desligou do Sindicato dos Atores dos Estados Unidos (SAG - Screen Actors Guild). Ele se antecipou a audiência que a instituição faria para considerar a expulsão do político e empresário dos seus quadros após seus apoiadores invadirem o Capitólio americano no dia 6 de janeiro. O ataque deixou cinco mortos.

Em carta, endereçada a Gabrielle Carteris, presidente nacional do sindicato, Trump disse que o sindicato "faz pouco por seus membros e nada" por ele. “Escrevo para você hoje sobre a chamada audiência do Comitê Disciplinar que visa a revogar minha filiação ao sindicato. Quem se importa!", criticou.

“Eu não gostaria mais de estar associado ao seu sindicato", concluiu. “Obrigado”, respondeu a organização.

O sindicato representa cerca de 160 mil atores, jornalistas e outros profissionais da mídia. Trump tornou-se membro do SAG pelas suas aparições como ele próprio em filmes de Hollywood e séries de TV, como “Esqueceram de Mim 2” e “Sex and the City”, no começo dos anos 1990. Ele solidificou seu status de celebridade como apresentador e produtor do reality “O Aprendiz” e o derivado “O Aprendiz Celebridades”, entre 2004 e 2015.

A instituição afirmou no dia 19 de janeiro que iria revisar o papel de Trump no episódio da invasão, dizendo que o ex-presidente havia "atacado os valores que esse sindicato tem como mais sagrados: democracia, verdade, respeito pelos nossos colegas americanos de todas as raças e credos, e a santidade da livre imprensa".

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem