Celebridades

Ex-namorada de Armie Hammer o acusa de marcar inicial na virilha dela com faca

Para modelo, relacionamento com o ator de Hollywood foi 'profundamente traumático'

Paige Lorenze e Armie Hammer
Paige Lorenze fala sobre relacionamento com Armie Hammer - Instagram
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

São Paulo

Paige Lorenze, 22, veio a público para dar mais detalhes de seu relacionamento com Armie Hammer, 34, a quem acusa de tê-la marcado na virilha com a letra A, com uma faca, durante um jogo sexual. A modelo descreveu o relacionamento com o ator como "profundamente traumático" e conta que ele "pode ferir outra mulher gravemente".

De acordo com a modelo, o ator frequentemente a amarrava, batia nela com remos e planejava "noites de alto protocolo" de movimentos sexuais dolorosos, que muitas vezes a deixavam coberta de hematomas. Em entrevista concedida ao Daily Mail, Lorenze conta que na primeira noite em que teve relações sexuais com o ator ele pediu que ela o chamasse de "papai" ou "senhor".

Ela descreve os quatro meses de relacionamento com o artista "como uma vida real de 'cinquenta Tons de Cinza' sem o amor". Expondo mais de suas fantasias, Hammer implorou à modelo para remover suas costelas, para que ele pudesse assá-las. Mesmo em meio a própria família, no Dia de Ação de Graças, ele levou consigo seu estojo BDSM (sigla para bondage, disciplina, dominação, submissão, sadismo e masoquismo) com capa de couro para jogos sexuais excêntricos.

"Quero que Armie se dirija aos seus demônios, veja a dor e o trauma que ele causou a mim e a outras mulheres", diz Lorenze, lembrando que o ator afirmava não estar cometendo crime algum. “Ele realmente pensava que suas fantasias eram um comportamento normal na comunidade BDSM, não-normativa e sexual. Eu pensei que era isso, que estava segura. Mas qualquer homem que esteja fantasiando sobre esmagar ossos, comê-los, fazer sexo com corpos femininos flácidos é um perigo para todas as mulheres", pontuou a modelo.

Ela deixou claro não ter motivos para se envergonhar e que torce mais para que Armie procure ajuda profissional do que seja preso. "Suas ações e comportamento são perigosos e emocional e psicologicamente prejudiciais. Ele está dizendo que as pessoas o estão envergonhando e não deveriam comentar sobre sua vida sexual, mas BDSM é uma cortina de fumaça para ele querer machucar mulheres".

Para Lorenze, o ator fez uma lavagem cerebral nela para tomar drogas com ele e fazer sentir que, ao concordar com atos de BDSM, "o estava satisfazendo e fazendo com que ele a amasse." "Você pode ficar traumatizado com o sexo consensual. É inaceitável que ele coaja as mulheres a concordarem em deixá-lo machucá-las", diz a atriz, contando que o ator além de álcool, consome diversas drogas, como cocaína, heroína e DMT.

"Eu confiei nele com base em sua experiência, idade e o fato de que eu estava sendo cuidada por ele. Mas eu estava sendo magoada por Armie, que me colocou em um papel, me elogiou de maneiras que eu nunca experimentei, mas queria o controle no sexo — e eu permiti isso. Eu teria feito qualquer coisa para agradá-lo e fazê-lo se sentir feliz e satisfeito", relembrou a modelo.


Em declaração à publicação, o advogado de Hammer diz que as afirmações da modelo são inteiramente falsas. "Quaisquer interações com essa pessoa, ou qualquer parceiros, foram completamente consensuais, pois foram totalmente discutidas, acordadas e mutuamente participativas", defendeu.
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem