Celebridades

Iza, Deborah Secco, Marquezine e mais famosos se revoltam com sentença de 'estupro culposo'

Acusado de estuprar influenciadora foi inocentado

A cantora Iza
A cantora Iza - Alex Santana
São Paulo

O caso denominado como “estupro culposo” que inocentou o empresário André de Camargo Aranha acusado de estuprar a influenciadora digital Mariana Ferrer tem revoltado famosos. Por suas redes sociais, alguns deles fizeram questão de manifestar seu total repúdio à decisão de um promotor que não viu intenção no ato do acusado. O caso foi divulgado pelo site The Intercept.

A conclusão do juiz foi de que "não há provas contundentes nos autos a corroborar a versão acusatória". A sentença reconhece que “há provas da materialidade e da autoria, pois o laudo pericial confirmou a prática de conjunção carnal e ruptura himenal recente”. ​

Entre eles estão a cantora Iza. “‘Estupro culposo’ não existe”, escreveu ela em uma publicação. A mesma mensagem foi escrita pela atriz Deborah Secco que adicionou que a decisão era “revoltante”. Outra atriz, Bruna Marquezine, mostrou sua revolta e até soltou um palavrão ao reclamar da decisão pelo Twitter.

A cantora MC Rebecca foi além. Além de criticar o país pela decisão, fez um paralelo com a sua própria profissão. “‘Estupro Culposo’ não existe! Justiça por Mari Ferrer. Um país onde ser MC é crime e um estuprador é inocentado”, postou.

A modelo e ex-participante do BBB 20 Rafa Kalimann fez um desabafo. “‘Não teve a intenção de estupra-la’. Isso existe? Quantas vezes mais? Quantos outros medos? Quantas outras agressões? Quantos outros estupros ‘sem querer’? Não dá para esse medo continuar”, publicou.

Taís Araújo publicou um diagrama bem explicativo para mostrar que não existe o termo “estupro culposo”. “Bem desenhado para que todos possam entender que não existe estupro culposo! Ninguém comete estupro sem intenção. Esse precedente é mais uma violência contra o direito das mulheres.”

O ator Bruno Gagliasso foi outro que se posicionou. “Vai ficar fácil para criminoso assim, né?”, disse. Anitta pediu justiça pela influenciadora. “Mariana Ferrer eu admiro sua coragem de uma forma que você nem imagina”, escreveu.

A influenciadora GKay se colocou no lugar de Mariana. “Esse caso é uma derrota para todas nós mulheres.”

RELEMBRE O CASO

Em dezembro de 2018, no Café de La Musique, festa em Jurerê Internacional, em Florianópolis (SC), a influenciadora Mariana Ferrer aparecia em um vídeo subindo uma escada na companhia de Aranha. Ambos desceram minutos depois. Naquele mesmo dia ela registrou um boletim de ocorrência contra ele por estupro.

Apesar de a casa noturna ter câmeras de segurança, as imagens não puderam ser recuperadas naquela noite. Em depoimento à polícia, Mariana, que era virgem na época, disse que acreditava ter sido drogada. Foi encontrado nas roupas da jovem por meio de um DNA material genético do empresário.

Em agosto de 2020, a influenciadora teve sua conta no Instagram suspensa por decisão da Justiça. Ela vinha publicando fotos e mensagens relativas ao estupro de que teria sido vítima aos 21 anos. Ela também disse que amigas que a acompanhavam no dia negaram ajuda e compactuaram com o acusado.

O acusado nega. O processo relativo ao estupro corre em segredo de Justiça na 3ª Vara Criminal de Florianópolis.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem