Celebridades

Adriana Bombom lamenta morte da mãe, vítima da Covid-19: 'Antes que se podia esperar'

Dona Ernestina tinha 75 anos e estava internada em um hospital no Rio

Mãe de Adriana Bombom, Dona Ernestina, morre aos 75 anos em decorrência a complicações causadas pela Covid-19
Mãe de Adriana Bombom, Dona Ernestina, morre aos 75 anos em decorrência a complicações causadas pela Covid-19 - Instagram/@adrianabombom
São Paulo

Adriana Bombom, 46, usou as redes sociais na madrugada desta segunda-feira (16) para noticiar a morte da sua mãe de 75 anos. Dona Ernestina tinha diagnóstico positivo para a Covid-19 e morreu devido as complicações causadas pelo vírus na noite de domingo (15).

"Tive a sorte de poder ter vivido tantos momentos bons com você nestes últimos tempos! Só que agora você partiu e foi muito antes que se podia esperar", escreveu Bombom, que também disse que a mãe era uma mulher de fibra, fé e honestidade.

Segundo a assessoria da apresentadora, Dona Ernestina foi internada em estado grave no início do mês, no dia 2 de novembro, no hospital Universitário de Vassouras, no Centro-Sul do estado do Rio –onde permaneceu até a sua morte. A mãe de Adriana Bombom estava entubada e não apresentou melhoras nos últimos dias.

O marido de Bombom, o empresário Adrien Cunha, também chegou a ter diagnóstico positivo para o novo coronavírus, segundo a assessoria afirmou ao F5. "Ela tomou as medidas de encaminhá-la [Dona Ernestina] ao tratamento médico, mas também estava no Rio em razão do marido também ter contraído Covid, porém ele pode ser tratado em casa e já está fora de risco."

Em sua declaração, Adriana Bombom afirmou que a missão de sua mãe ainda não acabou. "Estou certa de que quem te conheceu pode absorver pelo menos um pouquinho dos exemplos e da dedicação e amor que você sempre transmitiu", disse a apresentadora.

A dançarina e apresentadora vem recebendo muitas mensagens de apoio e carinho através das redes sociais. Nicole Bahls deixou um comentário emocionante para a amiga: "Meus pêsames, irmã. Continuará sempre viva em nossas memórias e coração."

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem