Celebridades

Pabllo Vittar pede indenização na Justiça contra Serasa por insinuar dívida com Anitta

Cantora diz que empresa se aproveitou de rumores para ganhar visibilidade

Pabllo Vittar lança álbum completo de “111” - Ernna Cost /Divulgação
São Paulo

A cantora Pabllo Vittar entrou com um pedido de indenização na Justiça contra a empresa Serasa. Isso porque no dia 6 de agosto de 2019, a empresa de análise de créditos publicou ilustração em sua página nas redes sociais citando, indiretamente, a artista.

"Devendo US$ 70 mil para uma cantora?", provoca uma imagem divulgada nas redes sociais da Serasa, que tem uma explicação na legenda: "Usou o cartão da amiga para pedir um jatinho e não conseguiu pagar? A solução está aqui: Serasa Limpa Nome", dizia a publicação.

Não demorou muito para que internautas citassem a briga de Anitta e Pabllo Vittar, do polêmico videoclipe da música "Sua Cara". Na época, Anitta chegou a responder a empresa dizendo que achava muito triste fazer piada com um assunto "que é um pesadelo".

Os advogados de Pabllo Vittar comunicaram à Justiça que a Serasa se aproveitou de rumores entre as duas artistas para ganhar visibilidade. "[Serasa] Está afirmando, de forma indireta e ardilosa, que o autor [Pabllo Vittar] está em dívida com a cantora", disse um representante do departamento jurídico da cantora ao UOL. "Ou seja: reforçando uma história mentirosa, queimando em praça pública o bom nome do autor, que por ser uma ‘drag queen’ já sofre toda sorte de preconceitos”, completou.

Ainda segundo a reportagem, os advogados de Pabllo Vittar pedem R$ 120 mil como forma de indenização. Procurada pelo F5, a assessoria de imprensa da cantora disse que não comentaria sobre o caso nem quis informar o nome do escritório de advocacia que cuida do caso. A Serasa não se manifestou até a publicação deste texto.

RELEMBRE A BRIGA

A briga aconteceu quando Anitta e Pabllo Vittar lançaram o videoclipe da música "Sua Cara" com o DJ Diplo em 2017. Anitta acusou a colega de não ter pago nenhuma parte da produção audiovisual que foi gravada no Marrocos e custou mais de US$ 70 mil (cerca de R$ 250 mil na época), segundo um áudio vazado pelo jornalista Leo Dias.

Após a gravação, Pabllo Vittar teria pedido cachê alto para participar de uma edição da festa Combatchy, criada pela própria Anitta, o que teria gerado a resposta em áudio. "O jato era caríssimo, o clipe eu tava pagando sozinha, muito pão dura, entendi. Pão dura ia ser, se eu pegasse e falasse assim: ‘Não, eu não vou pagar clipe nenhum, faz de qualquer jeito’. Agora o clipe caro pra cacete, US$ 70 mil. US$ 70 mil, amor! Sou pão dura?”, dizia ela no áudio.

Após o imbróglio, as duas quase não tocaram no assunto, mas Vittar chegou a dizer que não tinha raiva de Anitta, apesar de elas não se falarem nem serem amigas. Anitta também já disse que reconhece o talento da drag queen, mas que não deseja mais contato com ela.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem