Celebridades

Justiça rejeita queixa de viúva de Gugu contra apresentadores Leão Lobo e Chris Flores

Rose Miriam afirmava ser sido caluniada pelos apresentadores

Gugu Liberato e filhos
Gugu Liberato, Rose Mirim e os filhos em Portugal, para o aniversário de 90 anos da mãe do apresentador, Maria do Céu Liberato - Instagram/ @guguliberato
São Paulo

A Justiça decidiu rejeitar a queixa-crime movida por Rose Miriam di Matteo, viúva do apresentador Gugu Liberato, contra os apresentadores do SBT Leão Lobo, Chris Flores e Décio Piccinini. Ela acusava os três de calúnia, difamação e injúria.

A informação foi publicada pelo site Notícias da TV e confirmada ao F5 pela assessoria do advogado Nelson Wilians, representantes de Rose Miriam. “O advogado acata a decisão, cujo teor está incluso dentro de possíveis interpretações que o caso permite”, afirmou a assessoria do advogado, em nota.

Segundo a publicação, a queixa se referia a três reportagens veiculadas pelo Foficalizando (SBT), programa que tem os três citados como apresentadores, entre dezembro de 2019 e janeiro deste ano. Em todas elas o programa abordava a disputa pelos bens do apresentador, morto em novembro do ano passado.

A queixa apontava que os apresentadores teriam excedido o caráter jornalístico aproveitando para atacar e desmoralizar a viúva do apresentador. Eles teriam em algumas ocasiões questionado o direito dela pela herança e chegaram a afirmar que Gugu nunca a apresentou como esposa aos amigos.

A queixa, no entanto, foi rejeitada pela juíza Danielle Martins Cardoso, da 3ª Vara Criminal de Osasco. Segundo o Noticias da TV, ela apontou “ausência do dolo específico exigido no tipo penal em apreço”. Para ela, os apresentadores ficaram no limite da liberdade de imprensa e opinaram sobre um fato público.

O SBT foi procurado, mas afirmou por meio de sua assessoria de imprensa que não vai se manifestar sobre o caso.

DISPUTA

Rose Miriam, que não era casada oficialmente com Gugu, mas vivia com ele e os três filhos do casal, foi à Justiça após a morte do apresentador, para que fosse reconhecida a união estável dos dois e, assim, ter direito à herança dele, que foi partilhada apenas entre os filhos e sobrinhos de Gugu.

Metade dos bens do apresentador foram transmitidos obrigatoriamente a João Augusto, 18, Sofia, 15, e Marina, 15. Já a segunda metade, o apresentador dividiu, deixando 75% para os três e 25% para cinco sobrinhos.

A disputa judicial deu origem a uma série de desavenças entre Rose e a família de Gugu. A mãe do apresentador, Maria do Céu, chegou a dizer que Rose e Gugu nunca tiveram nada, mas que o apresentador dava a Rose tudo que ela queria. Ela também disse que Rose estava destruindo a família com a disputa.

Enquanto os advogados de Rose Miriam apresentam fotos e documentos que comprovariam a união do casal, os representantes de Gugu também apresentam documentos e declarações que provariam o contrário. Por enquanto, a viúva do apresentador permanece com uma pensão de R$ 10 mil.

Em março, uma psicóloga atestou que Rose estava sob tratamento com remédios que tinham como efeito colateral “perda significativa de memória” quando abriu mão da herança. Segundo Vera Lúcia Gonçalves, ela apresentava quadro “delirante paranoico” e “não conseguiria juntar as ideias em decorrência de enorme estresse”.

Em meio a acusações de ambas as partes, o chef de cozinha Thiago Salvático também apareceu, alegando que tinha um relacionamento com o apresentador e disposto a ir aos tribunais para reivindicar o reconhecimento de união estável e uma parte da herança.

A lei diz que a união estável, para ser reconhecida, precisa ser pública e estabelecida com o objetivo de constituir família. E Gugu Liberato nunca apresentou publicamente outra pessoa, além de Rose, como sua parceira, chegou a afirmar o advogado Nelson Wilians, que representa ela.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem