Celebridades

Família de Gugu diz ser crime vazamento de áudios atribuídos a filho de apresentador

Apontado como João, rapaz conta que sofreu ameaças da mãe

0
Rose Miriam, viúva de de Gugu, ao lado do filho do apresentador João Augusto Liberato - Danilo Verpa/Folhapress
São Paulo

A família de Gugu Liberato, apresentador, que morreu no final de novembro do ano passado após sofrer uma queda na casa dele nos Estados Unidos, repudiou na tarde desta quinta-feira (16), por meio de nota, os vazamentos de áudios atribuídos ao filho mais velho do apresentador, João Liberato.

Nos áudios, um rapaz que seria João conta que sofreu ameaças da mãe, Rose Miriam, que não queria pagar as contas da casa. Diz também que ele mesmo teve de arcar com as despesas e que teria tirado dinheiro da irmã, Sophia, para conseguir pagar tudo.

Também diz que a mãe teria dito que ele “iria se ferrar” e que acionaria seu advogado para resolver a questão. Em nota, a família não fala da veracidade ou não dos áudios, mas afirma que esses vazamentos foram criminosos e ultrapassaram os limites do respeito e da má-fé.

“Desde a morte de Gugu Liberato, seus familiares e herdeiros vem convivendo com notícias difamatórias, inverídicas e com a divulgação criminosa de dados e provas protegidos por segredo de Justiça. Nos últimos dias a divulgação de um áudio atribuído a seu filho, João Augusto Liberato, superou o limite do comportamento ético e o respeito a valores humanos”, diz trecho da nota.

O segredo de Justiça foi imposto pelo Poder Judiciário e Ministério Público justamente para preservar a intimidade dos filhos e dos menores envolvidos. “As sucessivas e reiteradas quebras de sigilo judicial vem sendo objeto de investigações criminais, também sigilosas, por parte do Poder Judiciário e Ministério Público, não só para resguardar os direitos dos menores, mas por afrontar diretamente toda a credibilidade e segurança do sistema de Justiça brasileiro”, diz outro trecho.

A família diz ainda que “todos os envolvidos na manutenção ou propagação destas falsas e ilegais notícias estão sendo notificados através de correspondência certificada e serão responsabilizados de acordo com a lei”. E que áudios, vídeos e supostos documentos referentes ao assunto deverão ser retirados do ar imediatamente.

Procurada, a assessoria de imprensa de Rose Miriam diz que já ouviu falar nos tais áudios, mas não soube dizer se seriam verdadeiros ou falsos.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem