Celebridades

Juliana Paes se posiciona sobre goleiro Bruno e lança campanha: 'Meu ídolo não é feminicida'

Defensora da causa de não violência contra a mulher, atriz fez declaração no Instagram

Juliana Paes  muda visual após fim de A Dona do Pedaço
Juliana Paes muda visual após fim de "A Dona do Pedaço" - Instagram/JulianaPaes
São Paulo

Indignada com a possibilidade de contratação do goleiro Bruno de Souza, 35, pelo clube baiano Fluminense de Feira de Santana, Juliana Paes, 40, decidiu tornar pública sua opinião sobre o caso.

A atriz, que se disse "defensora da causa da violência contra a mulher", lançou nesta sexta-feira (9) a hashtag "Meu ídolo não é feminicida", junto a um texto em seu Instagram. Paes escreveu ter sido influenciada pelo vídeo da jornalista Jéssica Senra, que discursou ao vivo no Jornal Meio Dia, da TV Bahia, filiada da Rede Globo, contra a possível contratação de Bruno.

"Jéssica Senra me surpreendeu e me comoveu com a sua coragem, ousadia e inteligência ao defender seu posicionamento contra um clube de futebol que desejava contratar o goleiro Bruno, condenado por um crime bárbaro de assassinato à mãe de seu filho", disse na mensagem.

A atriz afirmou estar "muito orgulhosa" da atitude de Senra e convidou seus seguidores e marcas a assistirem ao vídeo no qual a jornalista se posiciona sobre o assunto. Além disso, marcou na publicação as amigas Deborah Secco, Maria Joana, Agatha Moreira, Sabrina Sato e  Julianne Trevisol.

O depoimento de Senra aliado ao posicionamento de torcedoras do clube na internet levou o clube baiano a desistir da negociação com Bruno. Esta não é a primeira vez que o goleiro perde a chance de voltar aos gramados após sua condenação. Em outubro de 2019, o time mineiro Poços de Caldas FC rescindiu contrato com ele 23 dias após sua apresentação e estreia.  

Em 2017, Bruno assinou com o Boa Esporte, de Varginha, mas voltou à prisão após dois meses por determinação da Justiça. Ele foi condenado, em 2013, pelo homicídio triplamente qualificado, sequestro e cárcere privado de —Samudio sua ex-amante, então com 25 anos — ocorrido em 2010. 

A pena inicial era de 22 anos e três meses, mas foi reduzida pela prescrição do crime de ocultação de cadáver. Em setembro de 2017, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais validou a certidão de óbito da modelo. O corpo dela nunca foi encontrado.

Em julho de 2019, o ex-goleiro do Flamengo conseguiu progressão ao regime semiaberto. Atualmente, ele cumpre pena de 20 anos e nove meses. A modelo e Bruno tiveram juntos um filho, chamado Bruno, como o pai, um bebê na época do crime. 

Ainda sem data de estreia, a história do goleiro virará série da Rede Globo, dirigida por Amora Mautner e estrelada por Vanessa Giácomo, no papel de Samudio. 

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem