Celebridades

Rapper A$AP Rocky é libertado após ser preso na Suécia: 'Experiência humilhante'

Tribunal sueco que o julgou por violência ditará sentença 14 de agosto

ASAP Rocky no 4º Rihanna's Annual Diamond Ball
ASAP Rocky no 4º Rihanna's Annual Diamond Ball - Angela Weiss/AFP
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Helene Dauschy Johannes Ledel
Estocolmo

O rapper americano A$AP Rocky, 30, foi colocado em liberdade nesta sexta-feira (2) à espera de que o tribunal sueco que o julgou por violência durante uma briga dite a sentença, em 14 de agosto. 

A$AP Rocky e outros dois acusados "não ficarão em prisão preventiva", declarou o juiz Per Lennerbrant nesta sexta, ao final da audiência de três dias na capital sueca.

"Obrigada de todo coração a todos os meus fãs, meus amigos e quem me apoiou nestas últimas semanas [...], foi uma experiência muito difícil e humilhante", escreveu o rapper em sua conta de Instagram, após quase um mês preso. 

Mais cedo, a promotoria sueca pediu até seis meses de prisão pelo crime de violência em uma briga em que o músico se envolveu em 30 de junho em Estocolmo. Ele estava em prisão preventiva desde sua detenção.

O promotor Daniel Suneson alegou um ato voluntário, ao estimar que A$AP Rocky e os outros acusados agrediram a vítima, um afegão de 19 anos que os seguia insistentemente na rua.

O advogado do rapper, Slobodan Jovivic, declarou legítima defesa e pediu que ele seja absolvido. "Estamos satisfeitos", disse Jovivic em coletiva de imprensa. "Tínhamos dois objetivos: um era que meu cliente fosse um homem livre hoje, e conseguimos isso, e agora esperamos uma absolvição dentro de 14 dias". 

Nesta quinta (1º), A$AP Rocky se declarou inocente, alegando legítima defesa, e deu seu próprio relato da briga no tribunal, enfatizando que estava "assustado" e que ele e sua equipe haviam pedido várias vezes ao demandante que os deixasse em paz. 

Admitiu que jogou o demandante no chão e que "chutou seu braço", mas negou a afirmação da promotoria de que havia usado uma garrafa e insistiu em que só agiu depois de que o demandante e seu amigo começaram a atacar seu guarda-costas. 

O demandante alegou que foi atacado por A$AP Rocky e sua equipe quando os seguiu para perguntar por um par de fones de ouvido quebrados em uma briga anterior com o guarda-costas do rapper.  Mais de 640.000 pessoas assinaram uma petição on-line para pedir a liberdade dele. 

O presidente americano, Donald Trump, que pediu várias vezes a liberdade de A$AP Rocky, denunciando a interferência dos políticos suecos, também expressou sua satisfação após o anúncio. 

"Foi uma semana tumultuada ['rocky' em inglês], volte para casa o mais rápido possível ('as soon as possible', ou ASAP, em inglês] A$AP!", tuitou o presidente, fazendo um jogo de palavras com o nome do artista. 

O representante presidencial dos EUA para Assuntos de Reféns, Robert O'Brien, enviado por Trump para o julgamento, disse a jornalistas que "o presidente sentiu que não deveriam ter sido detidos, foram assediados".

AFP
Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem