Celebridades

Michelle Obama diz que ela e Barack fizeram terapia de casal 'um punhado de vezes'

Ex-primeira dama falou sobre o assunto durante a divulgação de seu livro, "Minha História"

Michelle e Barack Obama durante evento da Fundação Obama em Chicago, nos Estados Unidos
Michelle e Barack Obama durante evento da Fundação Obama em Chicago, nos Estados Unidos - AFP

São Paulo

São quase três décadas de um casamento que superou provações e holofotes. O casal Obama é inspiração para muitos que buscam um relacionamento saudável, mas a ex-primeira dama americana afirma que mesmo ela já teve seus momentos de dúvida.

"Porque somos exemplos, é importante para nós sermos honestos e dizer que, se você está em um casamento e há momentos que você quer sair, isso é normal --porque eu me já me senti dessa maneira", disse Michelle, 54, à revista People.

A Sra. Obama falou sobre o assunto em diversas ocasiões durante a divulgação de seu livro, "Minha História" ("Becoming"), que será lançado mundialmente nesta terça (13). No volume, ela fala abertamente sobre temas variados, desde sua criação em Chicago, preconceito racial como figura pública a sua vida íntima, como o aborto natural que sofreu antes de conceber suas filhas por meio de fertilização in vitro.

Segundo a agência de notícias Associated Press, há uma passagem na qual Michelle afirma ter recorrido a aconselhamento matrimonial "um punhado de vezes". "Aconselhamento matrimonial, para nós, era um daqueles caminhos com os quais aprendemos a falar sobre nossas diferenças", disse a ex-primeira dama durante recente entrevista no programa de televisão matinal Good Morning America.

"Eu conheço muitos casais jovens que sofrem e pensam que, de alguma maneira, há algo errado com eles", disse na ocasião. "Quero que eles saibam que Michelle e Barack Obama, que têm um casamento fenomenal e que se amam, que nós trabalhamos o nosso casamento e e procuramos ajuda com nosso casamento quando precisamos."

Para ela, momentos de dificuldades no relacionamento são oportunidades para conhecermos melhor a nós mesmos. "O que eu aprendi sobre mim foi que minha felicidade dependia de mim e passei a me exercitar mais, comecei a pedir ajuda, não apenas dele como de outras pessoas", disse. "Parei de me sentir culpada."

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem