Celebridades

Letícia Colin é censurada por estar com seio de fora em rede social e recebe apoio de artistas

Site ligado ao MBL liga atriz a movimento de esquerda e a acusa de inventar censura

Letícia Colin na capa da revista Marie Claire
Letícia Colin na capa da revista Marie Claire - Divulgação

São Paulo

Letícia Colin, 30, é capa da revista Marie Claire deste mês, cujo tema do ensaio fotográfico é a defesa da emancipação feminina. Uma das imagens do ensaio, compartilhada nas redes sociais da revista, foi retirada do Instagram nesta quinta (29), por infringir as políticas de nudez da rede social. A atriz aparece sentada em um banco, vestindo um blazer preto aberto, que deixa à mostra seus seios. 

“Nosso corpo deve ser um instrumento de nossas escolhas e desejos. Seios de mulheres não deveriam causar estranhamento. Por que homens podem andar sem camisa e nós não?”, disse Colin, em entrevista à publicação, que chegou às bancas nesta quinta (29). 

Com a retirada da foto, diversos artistas repostaram a imagem em suas redes, em uma campanha contra a censura dos mamilos: com isso, a hashtag #FreeTheNipple (liberte os mamilos, em tradução livre), proliferou na internet. O movimento existe há alguns anos e conta com a adesão de personalidades internacionais, como Naomi Campbell. 

Artistas como Nanda Costa, Suzana Pires, Aline Borges, Samara Felippo e Monica Torres replicaram a imagem em seus pefis, com a frase "Por que os homens podem e nós não?". A revista Marie Claire usou a mesma rede social para repudiar a retirada das publicações: "E se fosse um homem sem camisa? O Instagram censurou nosso perfil tirando do ar a imagem de Letícia Colin de topless”.  ​

Os posts também foram retirados do Instagram. Segundo a rede social, "removemos algumas fotos de mamilos femininos, mas fotos de cicatrizes de mastectomia e mulheres amamentando são permitidas." Para nós, diz a revista, não passa de censura e machismo.

Também em seu Instagram, Letícia Colin, que aproveita férias em Portugal com o fim da novela "Segundo Sol" (Globo), ironizou o ocorrido, publicando uma foto em que aparece vestida, segurando um pastel de belém na frente de um seio: "Remove-me, Instagram”.

As fotos de nudez podem ser removidas por reconhecimento automático dos robôs ou por denúncia de usuários. Procurada pela reportagem, a assessoria do Instagram não se manifestou até a publicação. Ainda não se sabe se a publicação foi excluída automaticamente ou por causa das denúncias. 

Durante as eleições presidenciais em 2018, Letícia Colin se manifestou contra o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL), usando a hashtag #EleNão e assinou o manifesto “Democracia Sim”. Após o segundo turno e o resultado das eleições, grupos de seguidores de Bolsonaro divulgaram uma lista de nomes de artistas a serem boicotados, incluindo o dela 

O site MBL News, ligado ao Movimento Brasil Livre, que apoiou a candidatura de Bolsonaro, noticiou o fato como "Esquerda inventa que atriz global foi censurada após Instagram remover foto que infringia regras da empresa”. Segundo eles, a discussão é "mais uma problematização inútil de pseudofeministas globais."
 

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem