Celebridades

Carol Castro fala da volta ao trabalho após o parto: 'Sinto muita saudade'

Atriz está no ar como a Waleska de 'O Tempo Não Para', na Globo

Carol Castro na praia com a filha, Nina, de um ano
Carol Castro na praia com a filha, Nina, de um ano - Reprodução/Instagram/castrocarol
São Paulo

No ar como a Waleska de "O Tempo Não Para", Carol Castro ainda está se adaptando a uma rotina sem a filha, Nina, de um ano, o tempo todo ao seu lado. Os primeiros desafios da volta ao trabalho começaram para a atriz há cerca de sete meses, quando ela teve que viajar para rodar o filme "Veneza", de Miguel Falabella.

"A Nina foi comigo, mas não a levava para o set de filmagens. Ela ficava sempre nos hotéis porque eram locações distantes, no meio do mato. Agora gravo diariamente [e a gente] vai se adaptando às mudanças", contou Carol à revista "Quem".

Mesmo longe, ela mantém uma vigilância constante das atividades que envolvem a filha. "Sinto muita saudade. Estou o tempo todo conectada, sabendo notícias da Nina, se chegou em casa, se saiu, se comeu fruta, se não comeu. Fico só monitorando, dentro do possível, e ainda tirando leite porque acaba que quando fico muito tempo longe dela, o peito enche. Mas está tudo sob controle. Já está superincorporado no meu dia a dia."

Carol acredita que é importante também dar este exemplo de trabalho para a filha. "A Nina já sabe dar tchauzinho quando estou indo embora. É claro que tem um dia ou outro que ela chora. É difícil para ela, é difícil para mim, mas a gente vai se adaptando. De certa forma, desde muito pequenininha, ela me vê indo trabalhar. Um dia será ela, acho que acaba sendo um exemplo que a gente dá."

A atriz ainda diz que encara com naturalidade as mudanças não apenas emocionais, mas físicas que a gravidez e a maternidade trouxeram. "Peso menos do que antes de engravidar, mas não é o mesmo corpo e jamais será. Qualquer mãe que teve filho não terá o corpo de antes, só se fizer plástica, o que não foi o meu caso."

Castro também afirmou que o "corpo muda, muda a elasticidade da pele, da barriga, o tamanho do peito. Mas acho bonito, acho que conta uma história, como uma cicatriz que tenho no ombro de um tombo de bicicleta. Faz parte, negar minha história não é muito o meu caminho."

UOL
Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias