Celebridades

Snapchat cai depois de tuite de Kylie Jenner

Ações desvalorizaram na bolsa americana após tuíte da caçula das Kardashians

Kylie Jenner foi fotografada pela primeira vez após o nascimento da filha em 7 de fevereiro
Kylie Jenner foi fotografada pela primeira vez após o nascimento da filha em 7 de fevereiro - Vivien Killilea/AFP

Mamta Badkar

​A culpa é de KylieAs ações da Snap despencaram em direção ao seu preço de oferta inicial, na quinta-feira, reduzindo em US$ 1,6 bilhão o valor de mercado da companhia, depois de um tuite da estrela de reality shows Kylie Jenner.

As ações da companhia controladora do app de mensagens Snapchat caíram em até 8,4%, para US$ 17,08, na quinta-feira, praticamente seu preço de oferta pública inicial, US$ 17.

A queda surgiu depois que Jenner, que conta com grande número de seguidores na mídia social, tuitou para seus 24,5 milhões de seguidores no Twitter: "Alguém mais também deixou de usar o Snapacht ou sou só seu? Ugh, que triste".

Jenner tentou recuar de seu tuite inicial com uma segunda mensagem na qual dizia "mas ainda te amo snapchat... meu primeiro amor", No entanto, ela já havia sinalizado anteriormente sua ambivalência quanto à mudança de design do app, anunciada inicialmente em novembro e implementada recentemente.

O Snapchat separou as mensagens e fotos postadas por amigos do conteúdo produzido profissionalmente por provedores de conteúdo, celebridades e outros "influenciadores", anunciando que isso tornaria o app mais fácil de usar e mais íntimo. No entanto, a mudança foi recebida com frieza pelos usuários e até resultou em uma petição no site Change.org para que a atualização fosse removida - e a petição atraiu mais de um milhão de assinaturas.

Há muitas vendas a descoberto de ações da Snap, o que torna seu preço bastante volátil. A proporção de ações da empresa envolvidas em operações de venda a descoberto - ou seja, em apostas por investidores de que seu valor cairá - é de 29,95% de seu total de ações em circulação, de acordo com dados da Bloomberg.

O momento da queda também é pouco propício porque a empresa, que ainda não saiu de vermelho, anunciou que seu cofundador e presidente-executivo Evan Spiegel recebeu remuneração total de US$ 637,8 milhões quando ela abriu seu capital no ano passado. O grosso desse valor veio de opções de ações em valor de US$ 636,6 milhões, de acordo com documentos apresentados pela empresa à Securities and Exchange Commission (SEC), agência federal que regulamenta os mercados de valores mobiliários dos Estados Unidos.

As ações da Snap não estão subindo, e a empresa vem enfrentando dificuldade para atrair novos usuários em volume que satisfaça as expectativas dos investidores. Ela também passou por mudanças dolorosas em seus negócios publicitários. Em agosto do ano passado, as ações da empresa caíram em até 26% ante seu preço de oferta inicial, para uma cotação de US$ 11,28.

As ações da Snap subiram em 1,3% depois de sua oferta pública inicial.

Tradução de PAULO MIGLIACCI

Financial Times
Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem