Aviso
Este conteúdo é para maiores de 18 anos. Se tem menos de 18 anos, é inapropriado para você. Clique aqui.

Astrologia
Descrição de chapéu Personare astrologia

Astrologia x charlatanismo: Veja como identificar um bom astrólogo

Astrologia não promete trazer pessoas amadas nem em 1 dia, nem em 100

Personare
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Alexey Dodsworth
personare

Como identificar um bom astrólogo? Primeiro, é importante esclarecer que, para muitas pessoas, a astrologia já é, por si mesma, um exercício de charlatanismo. Deste modo, para estas pessoas, não haveria divisão entre "astrólogos sérios" e "charlatães". Todos seriam enganadores. Eu digo que este pensamento, sim, é enganoso.

Explico: charlatanismo é uma palavra que explicita o desejo intencional de enganar, oferecendo algo que não se pode cumprir, ou afirmando algo que o próprio declamante sabe não ser verdade.

Alguém que pratica ilegalmente a medicina, sem ter formação para tanto, é um charlatão. Um astrólogo que afirma que pode fazer você ganhar na loteria ou que traz a pessoa amada em três dias através de magia é, igualmente, um enganador.

O mapa astral é um mergulho em você. Faça a versão mini e gratuita deste serviço e aprenda a explorar suas qualidades no dia a dia.

Não é complicado identificar este tipo de pessoa perigosa. Procure referências sobre ela. No caso de um astrólogo, procure saber quem ele é, como trabalha, tente descobrir se pessoas de sua confiança já fizeram consultas com ele.

Aliás, vale dizer que esta é uma dica preciosa no tocante a serviços astrológicos: o melhor astrólogo é aquele que lhe foi indicado.

Note que a astrologia não é algo que exige de ninguém um estudo formal. Qualquer pessoa pode se dizer "astróloga". Logo, não é como a medicina, atividade que exige um CRM, ou a psicologia, que exige CRP (e ambos os registros exigem formação acadêmica).

Aqui no Personare, você pode ver o seu horóscopo personalizado, que relaciona os trânsitos coletivos com o seu mapa astral.

OS LIMITES DA PRÁTICA ASTROLÓGICA

Há também outro tipo de charlatanismo, moralmente menos grave, que eu chamo de não intencional. É quando a pessoa aprende uma coisa que não é verdade, acredita nela e propaga a falsidade, conduzindo outras pessoas ao erro.

Para céticos em relação à astrologia, essa descrição caberia a todos os astrólogos, pois estes céticos partem do pressuposto de que a astrologia é, por si mesma, um engano —até mesmo para quem a pratica com a melhor das intenções.

Argumentar sobre a validade da astrologia é algo que não farei neste artigo. Entenda aqui como é possível comprovar que análises astrológicas funcionam.

Limito-me a dizer que se o astrólogo pratica o que tradicionalmente é chamado de astrologia, ele não é um charlatão, nem intencional, nem não intencional.

E, note: o que é tradicionalmente chamado de astrologia não promete trazer pessoas amadas nem em 1 dia, nem em 100. Astrologia não faz ninguém ganhar na loteria (se isso fosse possível, astrólogos estariam ricos). Astrologia não cura doenças.

Sendo assim, cuidado com quem promete coisas fantásticas. Astrólogos sérios geralmente deixam bem claro os limites da prática: o que pode e o que não pode ser feito. Entenda aqui se é possível antecipar acontecimentos por meio dos astros.

CHARLATANISMO NÃO INTENCIONAL: O QUE É?

O que eu chamo de charlatanismo não intencional é a postura de incorporar à atividade astrológica um palavreado científico acadêmico sem verdadeiro conhecimento de causa. Geralmente, isso decorre mais de ingenuidade que de má-fé.

Associar astrologia à física quântica, por exemplo, é forçar a barra. Jamais encontrei nenhum trabalho sobre astrologia e física quântica que eu pudesse dizer que conta com qualquer mínimo conhecimento, mesmo que vago, de física quântica.

Falar em "campos magnéticos", "efeito quântico" e outras coisas do gênero, na minha opinião, não passa de desejo de impressionar através de palavras difíceis ou, na melhor das hipóteses, exercício de analogias forçadas entre dois saberes tão distintos (a física e a astrologia).

Se um dia a astrologia puder ser comprovada pela ciência, isso não se dará por mera retórica que se vale de palavras impressionantes e uso de termos exóticos.

Por fim, vale um conselho: se você procura um astrólogo, não tenha medo de inquiri-lo e buscar referências. Procure por alguém de quem você já ouviu falar bem, ou cujos textos você leu e gostou. Converse com ele. Se o astrólogo pontua claramente os limites do que pode ser feito, ele provavelmente é confiável.

Final do conteúdo
  • Salvar artigos

    Recurso exclusivo para assinantes

    assine ou faça login

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem